24.9.18

Onde esse pessoal esteve escondido durante tanto tempo?



O final de semana que passou foi marcado por manifestações de apoio aos dois principais candidatos à presidência da república este ano. Enquanto Fernando Haddad (PT) era recebido em várias cidades do Nordeste, com manifestação de milhares de pessoas nas ruas apoiado e gritando o nome dele e do ex-presidente Lula. A turma que quer ver Jair Bolsonaro como mandatário do país também fez carreatas de adesão e mobilizou gente para isto.

No Recife Haddad juntou Petistas, simpatizantes e a turma do governador Paulo Câmara (PSB). Uma multidão percorreu o centro da cidade, que foi comparada ao desfile do Galo da Madrugada no período momesco. Na divisa entre Juazeiro na Bahia e Petrolina em Pernambuco, a ponte presidente Dutra, que separa os dois estados, foi invadida por manifestantes e mostrou que no Nordeste o Petista já é o mais popular entre os candidatos.
Em algumas das cidades nordestina pessoas saíram em seus carros em grandes carreatas mostrando seu apoio a Bolsonaro.

Entre esses dois grupos distintos há algo a ser destacado para cada um. Enquanto a turma de Haddad cantava suas músicas de campanha, gritava o seu nome e faziam juras de amor e paz para o Brasil. No domingo, 23, em Recife durante uma caminhada dos Bolsonaristas, em um carro de som tocava um funk com uma letra, no mínimo desrespeitosa, “dou para CUT pão com mortadela e para as feministas, ração na tigela. As mina de direita são as top mais belas, enquanto as de esquerda têm mais pelos que as cadelas”. Uma versão do “baile de favela”. Composição do MC João.

Nas redes sociais o que se viu foi um festival de frases prontas, quase sempre agredindo moralmente o adversário, fotos com homens e, inimagináveis antes, mulheres fazendo o gesto com as mãos, de uma arma atirando. Esta é a principal marca da campanha do candidato. Mais inacreditável foi ver evangélicos fazendo o mesmo gesto nas fotos. Pessoas que antes viviam pregando a paz e o amor, que falam em nome de um deus, (minúsculo mesmo), que antes era desconhecido de todos nós. O evangelho que essa turma lê não deve ser aquele em que Lucas 2:29 diz “Ao que te bate numa face, oferece-lhe igualmente a outra”. Jesus Cristo deve estar envergonhado dessa turma que leu, mas não entendeu o que ele pregou.

O envenenamento político atualmente no Brasil se deve ao PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira, e mais especificamente ao candidato derrotado na última eleição para presidente, Aécio Neves. Que intoxicou a classe política ao não reconhecer a vitória de Dilma Roussef e trabalhou no congresso nacional a aprovação de Leis que inviabilizaram a administração pública.

Mas onde estavam essas pessoas que saem às ruas para agredir moralmente e com ataques a pessoas que discordam do pensamento delas? Porque antes não víamos essas manifestações tão espontâneas na sociedade? Na verdade elas sempre estiveram presentes. Só que agora, com o silêncio complacente das policias e da justiça, os bichos estão soltos e cada um que queira, pode expressar seus desejos adormecidos. Atacar nas redes sociais, fazer gestos que configuram uma arma, só reforça a ideia de que todos esses sentimentos animais já estavam dentro de cada pessoa. Eles só estão extravasando o que sentem pelo próximo. Assim são as mulheres, negros, homossexuais e tantos grupos minoritários que sempre foram desprezados pelo candidato da direita e que agora vão às ruas pedindo para que votem nele.

Essa eleição será a disputa de um projeto de desenvolvimento e a retomada dos programas sociais para as pessoas de baixa renda e o daqueles que, sem projeto se escoram nos bichos escrotos que vivem dentro de cada um deles.

Nenhum comentário: