30.9.13

O jornalista e escritor Emiliano José teve a coragem de denunciar através da imprensa – artigo n’A Tarde de 11/02, o pastor Átila Brandão como torturador à época da Ditadura Militar, tendo como testemunhas Dona Maria Helena Afonso de Carvalho e seu filho, o historiador e professor Renato Afonso de Carvalho. Ela era uma espécie de genitora de muitos presos políticos que afetuosamente a conheciam como Dona Yaiá. Evangélicos progressistas solidarizaram-se com Emiliano reafirmando o carreirismo e reacionarismo deste pastor que desde os tempos em que estudava na faculdade de direito na UFBA, contemporâneo de Renato Afonso, perseguia estudantes a serviço dos órgãos de informação. Incomodado com sua exposição pública, Átila Brandão encaminhou queixa-crime por calúnia visando processar e intimidar Emiliano. Com forte dose de apelo moralista - própria de religiosos fundamentalistas -, Átila Brandão é pessoa conhecida no mundo evangélico, além de ostentar funções de representação diplomática, como se tal título fosse passaporte à impunidade.

Neste ínterim, Emiliano voltou à carga e, criterioso com suas fontes, fez longa entrevista com Renato Afonso que resultou no artigo Corpo amputado querendo se recompor, já postado no site da Revista Carta Capital, onde não só confirma o fato da tortura no Quartel de Dendezeiros, como narra outros episódios de perseguição e sofrimento vivenciados em masmorras no Rio de Janeiro, nos anos 70, auge da ditadura militar. Por pouco Renato Afonso não teve o destino de tantos combatentes que sofreram sevícias até a morte, algumas indizíveis como as relatadas pelo cruel delegado Cláudio Guerra, através do livro Memórias de Uma Guerra Suja e em recente edição da mesma Carta Capital.

Jornalista, escritor e suplente de deputado federal pelo PT, Emiliano José, amargou 4 anos de prisão e sofreu na própria pele a violência das torturas tantas vezes relatadas por ele mesmo sobre outras pessoas em dezenas de artigos e livros que prolificamente vêm produzindo. O marco desta missão que se impôs foi 'Lamarca, o capitão da guerrilha', junto com o ex-preso e jornalista Oldack Miranda, lançado ainda em 1989, numa época de muitas incertezas sobre o futuro de nossa titubeante democracia.

O compromisso e a coragem de Emiliano com a Memória e a Verdade marca sua trajetória de vida desde os tempos de sua militância estudantil, quando foi líder nacional pela UBES - União Brasileira de Estudantes Secundaristas, passando pela cidadania ativa que exerceu ainda na cadeia e, em seguida como dedicado professor e parlamentar atuante. Este episódio, como tantos outros relatados por Emiliano ganha especial ressonância ao inserir-se entre as iniciativas que a Comissão Nacional da Verdade e o Comitê Baiano Pela Verdade estão tomando para identificar pessoas e instituições que se prestaram a ilegalidades e violações, feriram a dignidade humana, ceifaram vidas ou deixaram marcas no corpo e na alma de milhares de brasileiros e baianos inconformados com o fim da democracia e das liberdades. Dar publicidade e expor o pastor e ex-militar Átila Brandão à vergonha de seus familiares, amigos e funcionários por um passado tão repelente é o mínimo que podemos fazer testemunhando em solidariedade ao cidadão Emiliano José.

Salvador, 07 de maio de 2013
O perfil que responde por Marcello Reis em página da rede social facebook vem pregando crime contra Petistas. Ele utilizou o grupo “revoltados online” para atacar de forma agressiva os militantes do partido.
Vejam o que diz o senhor Marcello; nós somos a favor da violência, mas sentar o cacete em PTralhas não tem preço... Ainda segundo informações ele seria o criador do grupo revoltados. Se a policia quiser ter uma conversa mais apurada com o rapaz para buscar mais informações junto ao mesmo da pratica de crime ódio, o telefone para contato com ele é 11 98295 58--.

A policia deve buscar informações urgente da página do “revoltados” para que a intolerância política tenha um fim, antes que algo mais grave possa acontecer.
Eu fico impressionado com a capacidade de alguns amigos que tive ao longo da minha vida. É que sempre que se fala em masculinidade eu sempre ouço alguns deles falarem de suas performances sexuais com tanta propriedade que já cheguei a me sentir inferior a muitos deles. Uns falam que dão duas, três sem uma pausa para descanso. Eu, esse pobre filho de Deus vou avisando, nunca consegui algo assim. É uma bem feita, para mim é claro, e estou satisfeito. E quando ainda dá para um segundo tempo, rola, as vezes.
Um dia desses eu cheguei em uma roda de amigos onde a conversa era o fracasso na cama com uma mulher. 
Como cheguei após o debate estabelecido, eu preferi ficar de observador da peleja. Toinho, um cabra macho, bruto que só jumento quando empaca na estrada, afirmava em alto e bom som;
- Eu nunca falhei com uma mulher!
Ao ouvir aquela frase eu quase peço desculpas por minha existência de ser homem. É que eu já falhei na hora “H” por mais de uma vez. Então fiquei a me perguntar, caladinho e em meus pensamentos: “será que tem algo errado comigo?”. 
Nada disso! Eu tenho a certeza que ali tinha um monte de mentirosos. Quem danado nunca ficou deitado na cama com cara de abestalhado que levante a mão. 
Levanta tu ai que eu quero ver... Falei. Nem tu levantou.
Pois este é um assunto tabu entre os homensEles, claro, não devem gostar de estar lendo isto, pois juram que nunca deixaram a parceira sem a partida completa na noite de amor.
Mas, sempre tem o “mas” meu caro leitor. Elas também já falharam. E muito mais do que possamos perceber. O problema é que estamos mais afoitos em começar a atacar que deixamos de perceber o rosto delas, com cara de “vai logo e termina isso”. 
Não vá me falar agora que tu nunca percebeu isto? É que para elas não existe o constrangimento de ver algo cambaleante e sem força para levantar. Como se tivesse levado uma surra e, deitado, encostasse seu corpo no travesseiro para dormir.
Elas não! Poderosas quase sempre, afirmam que foi tudo bem, quando na verdade, prefeririam estar dormindo ou distante do amado. Elas não máquinas. Há que entendermos isto. Mas nós também não somos. E elas nos entendem? Não!
Caro leitor, ou leitora desavisada, o importante é que você não se preocupe em ter falhado algum dia. Isto acontece com todos nós, Homens e mulheres. Todos nós negamos fogo. Alguns claro, preferem mentir e vender a ideia de que nunca passaram por esta situação. Eu não. Eu aviso logo que errei, vai que alguma das namoradas do passado esteja lendo isto, poderá mandar uma mensagem e todos vocês e me desmascarar. Por esse vexame eu não vou passar.

Já os meus amigos, os atuais e os da juventude, continuam a afirmar que nunca negaram fogo. Eu continuo calado e fechado em meus pensamentos. Finjo que acredito, assim como todos, e não falo nada nessas horas. Claro que agora eles vão saber o que penso deles, e eles vão saber o que eu penso de mim mesmo. Mas estou com a minha consciência tranquila. O que não continua tranquilo são as falhas. Ainda acontece, e agora com a minha esposa. O que é um problema. Não para mim, mas para explicar  toda vez. Ela insiste em saber se tem outra em minha vida. Mulher é o bicho mais parecido com gente que eu conheço. Tudo, no relacionamento que dá errado, para elas, é porque tem outra no caminho. Mas nada disso acontece. É que as vezes, mesmo as amando intensamente, nós, os homens, mortais e carinhosos, não temos forças para estamos sempre atentos. Como disse Rita Lee, “é preciso estar atento e forte, não temos tempo de temer a morte”. Certo, eu sei, a letra da música não tem nada a haver com o tema, mas foi ela que me veio à cabeça nesta hora. E se tu pensou em outra ai, leia pensando na sua, porque a minha foi esta.

15.9.13

Na política sergipana encontramos diversos personagens folclóricos, dentre estes o Pula-Pula, ou “João do Pulo” do sertão, como está sendo chamado por seus adversários. E qual o movimento teria ocorrido nos últimos dias para que este assunto viesse ao noticiário nesta semana? O senhor que muda de partido conforme uma biruta busca o ar, teria aderido de uma hora para outra a pré-candidatura do senador Amorim, pegando, dizem vozes nos corredores da prefeitura em Nossa Senhora da Glória, de “surpresa” o atual prefeito do município.
 
O João do Pulo sergipano foi o patrono da candidatura a prefeito de Chico dos Correios e por isto mesmo, dizem seus opositores ele manda, desmanda e faz o que bem entender na administração e na política governista municipal. Segundo se conta o senhor teria sido levado a presença do senador Amorim pelas mãos de André Moura. A conversa girou entorno da ausência, segundo a fonte, da viabilidade eleitoral da candidatura do governador em exercício Jackson Barreto. Que vem sendo boicotado diariamente pelo PT estadual. O que estaria sem força para uma possível eleição do mesmo no ano que vem. Diante desta constatação feita pelos presentes e aceita por Serginho (João do Pulo) ele teria então entendido que era chegada a hora de abandonar o barco e quebrar, mais uma vez, todos os acordos feitos, inclusive, com a concordância de Marcelo Dedá.
Ao retornar a Glória o Seginho marcou uma reunião na AABB – Associação Atlética Banco do Brasil e convocou seus liderados, entre eles, pasmem os senhores, o prefeito Chico que é do Partido dos Trabalhadores, inimigo político do PSC em Sergipe, já que disputam no ano que vem acontece diretamente com os Amorins. Nesta reunião, com a presença do prefeito na mesa, anuncia seu apoio a provável candidatura de oposição ao partido do administrador municipal. Que passivo, ouve tudo em um silêncio obsequioso trajando uma camisa vermelha. Talvez tentando passar para a plateia um recado mudo. Para um dos moradores da cidade, está era a hora de ele, o prefeito, não manchar o que mais representa o seu partido, ele poderia ter ido mas “ao menos fosse com uma camiseta preta”. Seria mais digno da parte dele, disse indignado um senhor que acaba de se alinhar com “os destrói PT” de Sergipe.
Naquele mesa onde estavam Sérgio Oliveira (Serginho) e André Moura, junto com esse povo ficou Chico ouvindo eles destratarem o atual governador e a política estadual do PT. E em sua fala, pasmem todos, afirmou que vai manter seu compromisso de votar no João do Pulo. Disse também, é verdade, que vai votar em Jackson e Márcio Macedo. Mas não convenceu a uma só viva alma que esteve naquele encontro. E até os mais íntimos de Chico desabonaram sua conduta naquele momento. Alguns acham que ali não era o lugar dele estar. Mostrou uma fraqueza tremenda, já que politicamente, com a decisão do seu criador, ele no ano que vem, terá que subir, caso sua palavra se mantenha, em dois palanques. O de Jackson, inimigo até a alma dos Amorins, e o do PSC que vem arregimentando vários Joãos do Pulo sergipano.
O que se sabe agora é que Chico dos Correios teria recebido uma ligação do governador em exercício, quando a turma do PT deixa, Jackson Barreto que o convocou para uma reunião às pressas na governadoria nesta próxima segunda-feira, 16.
As cenas do próximo capítulo da novela de Glória deve ser contada nas próximas horas. Agora uma coisa é certa, se um prefeito do Partido dos Trabalhadores vai a um evento onde a principal pauta é a articulação visando as eleições do próximo ano, e contra o Partido deste alcaide, alguma coisa está erada na condução desta facção a nível estadual e deve ser revista o mais rápido possível ou os atuais detentores de mandatos serão os principais responsáveis pela derrota da atual coalização política que colocou Dedé e Jackson no governo. Vão ser acusados de estarem trabalhando único e exclusivamente para as suas reeleições no ano que vem, e que a majoritária seja jogada as hienas. Se eles querem pagar este preço, eu acho que o caminho está correto. E que venham as próximas histórias dos políticos sergipanos.

9.9.13

O meu amor por ela era tão imenso que mesmo sabendo que algo estava errado em nosso relacionamento eu a amava intensamente. 

Mesmo quando percebi que ela já não tinha a mesma vontade de estar junto de mim eu ainda a amava. 

Como eu percebi isto? Caro amigo, qualquer homem que ama sabe quando uma mulher o rejeita, mesmo esta mulher, as vezes fazendo declarações de amor. Elas sabem como ninguém manter um relacionamento esvaziado pelo tempo.

Pois foi isso que aconteceu comigo e Rosélia, a minha esposa. Depois de anos convivendo juntos. Mesmo após ter nascido um de nossos filhos, tudo começou a “esfriar” em nosso relacionamento.

Como os leitores sabem, ao menos é isto que eu acho, o amor não é algo que se vende em uma farmácia, não é remédio e maltrata intensamente.

Daquelas que contagia e deixa o camarada com o coração pulsando descompassadamente, suando em época de frio, com a língua seca feito papagaio... 

Se isto não é um mal, ainda está para ser provado qual é o bem que ele faz.

Eu tinha acabado de chegar da casa dos meus pais. Era por volta das 23h daquela quarta-feira de setembro do ano de Nosso senhor Jesus Cristo. Já faziam mais de dois meses que nós tínhamos entrado em campo e jogado uma partida de futebol. Mesmo eu a tendo procurado por várias vezes e demonstrado todo o meu carinho, eu percebia que ela me rejeitava como homem. Esta deve ser a maior dor no peito de um sonhador. 

Pior que isto só um chute no saco. Para esta dor não há "anador" que dê jeito. Ela foi deitar antes de mim e mais uma vez não tinha me chamado. Se isto acontece com você agora, tá na hora de reescrever a sua história meu amigo. E veja que naquele dia eu estava feito lagartixa, subindo pelas paredes de tanta vontade de entrar em campo e bater em pelada das boas. Ao me deitar, fui de encontro do corpo da minha amada, comecei a fazer carinhos, beijei sua nuca, mulher que ama não resiste a isto. Aprenda mané, pois eu falei “mulher que ama”.

E ela nem se mexia. Ta certo que  ela deitou antes, mas , espera ai, faziam cinco minutinhos e quem é o danado que  vai acreditar que uma mulher já estaria dormindo naquele momento? Nem tu, nem eu!  O certo é que fui de encontro ao corpo dela, fiz todos os tipos de carinhos pensáveis. Tu não ficar aí excitado, a mulher era a minha zorra ! 

 Confesso a vezes ,que foi naquele dia que eu percebi que ela não mais me amava. Foi uma dor arretada que até hoje quando eu penso, meu coração sofre.

No dia seguinte, ela acordou como que nada tinha acontecido, e estava certa pois só eu parecia ter jogado “paciência”. Vi que nada tinha mudado na rotina do nosso dia a dia. Ela levantou logo cedo, fez o café para nosso filho, e ao me ver disse:

- Bom dia meu amor !

Eu a olhei com carinho. Senti meu coração apertado mais uma vez em minha vida. Mas sabia que daquela noite que passou em diante eu não mais a procuraria. Conviveríamos eternamente e eu a amaria com todas as forças do meu sentimento.

Mais eis que...

Sim, não acabou a história. Homem é como a Fênix e renasce sempre das cinzas. 

Calma ai gente, eu só falei isto para ilustrar um pouco mais. Para que, se algumas delas lerem isto aqui, não ficarem tão convencidas, porque a verdade é que o homem pode amar pelos dois, mais a mulher nunca deixa isto acontecer. Nós, mesmo não mais amado as nossas esposas ficamos juntos para não faze-las sofrer. Já elas, se deixarem de nos amar, abandonam a casa de imediato e nós que ficamos, se ficarmos, teremos que reconstruir as nossas vidas despedaçadas por tamanhas indiferenças.

O certo é que o meu amor por ela era eterno. Disso eu tinha a certeza. E um certo dia ao falar com ela sobre o que estava acontecendo, e mesmo ela negando não mais me amar, eu disse a ela:

- Deixa que eu amo por nós dois.

Não adiantou nada. Ela foi embora de casa. Me deixou com dois filhos para criar e hoje mora com meu vizinho em um apartamento de primeiro andar. A miserável ainda ficou por cima, só para me olhar. Eu segui a minha vida. Vez ou outra nos encontramos na rua. Eu continuo amando a ela, mas ela não mais me ama e eu vivo a chorar.

Falei antes a vocês que isto é uma doença, e o melhor mesmo é raparigar. Assim não nos envolvemos tanto com uma só mulher, e a probabilidade de você se  apaixonar por uma só é remota. Pegue então seu cajado e saia por ai a desbravar novas terras todos os dias, que é para não ter que sofrer. Se isto acontecer contigo, que ao menos lhe valha a pena. Loira, morena, preta ou branca sarará, o importante mesmo é amar mais de uma, que é para não ter que chorar.

6.9.13

O desembargador Luciano Mata pediu vistas do processo de número 3577-4 que trata o afastamento do prefeito de Delmiro Gouveia, Luiz Carlos Costa, o Lula Cabeleira, e de sua vice, Ziane Costa. O julgamento que teve início na tarde desta quarta-feira, 4, foi adiado e voltará ao Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na próxima quarta-feira (11).

Dois desembargadores manifestaram votos favoráveis à manutenção do afastamento de Lula Cabeleira, o relator do processo, desembargador Frederico da Silva Gouveia e o desembargador Alberto Jorge.

Lula Cabeleira foi afastado do cargo pelo juiz José Eduardo Nobre Carlos por denúncias de abuso de poder político e econômico, que envolveu isenção de cobrança de tarifas no Mercado Público de Delmiro e obras asfálticas realizadas um mês antes das eleições para beneficiar povoados naquele município, sobre a suspeita de beneficiamento para sua candidatura.

A ação foi impetrada pelo seu oponente político, Padre Eraldo, em dezembro do ano passado, derrotado por 13.160 votos, contra 12.228.
Do Alagoas 24h.

5.9.13


Primeiro porque temos que ficar ouvindo todas as nossas amigas esculacharem com o sexo masculino, e ainda temos, como educados que somos, ficar sorrindo.
Só para que elas gostem um pouco mais da gente. É assim a vida de um homem que tem mulheres em sua lista de amizade.

Veja só o que me aconteceu durante a minha juventude:

A Olga  apareceu certo dia lá em minha casa. Chegou como quem tinha descoberto a mosca azul, fazia pouco tempo. Ela sem titubear foi logo abrindo o coração. E disse que tinha mantido relações pela primeira vez.

Zorra!  E eu que pensei que ela ainda era virgem e se guardava para mim! E ainda disse que o sujeito que foi seu primeiro homem, era o miserável do Rafael. Aquele cara de fuinha. Desgraçado. Carcará sanguinolento!

Como ela pode fazer isto?

 

É que eu gostava dela gente. Era apaixonado por ela e a danada vem em minha casa e fala isto sem se preocupar. Sou amigo. Mas não precisava saber e saber dessa maneira. Assim é demais para meu pobre coração.

Ela nem percebeu que enquanto ela falava, eu me estrebuchava todo no sofá. A cada cena contada, era como se eu estive sendo corno por tabela. É claro que eu nunca me declarei a ela. Pois sempre brincava.

Deve ter sido isto! Eu brincava!

E ela dizia: - Deixa disso. Somos só amigos.

Vou avisando uma coisa a você mulher que por descuido da vida resolver ler esta narrativa:

Homem detesta ser chamado de amigo. O que ele quer mesmo é beijar!!  Entenderam, ou vou ter que desenhar?

Voltando...

A danada me disse que fazia tempo que estava feito lagartixa, subindo pelas paredes. E esperou completar os dezoito anos para poder fazer o que fez. Então, me disse que só aconteceu uma única vez.

Meus amigos, essa é uma daquelas desculpas que elas sempre dão. Não consigo saber ainda se elas acham que nós acreditamos, ou se é porque acabou mesmo o repertório delas.

Sentada em minha frente, e já passada meia hora, eu já estava vendo ela com outros olhos. Eu já a via com olhos de raio X. Enquanto ela, sem parar um só minuto, falava, falava, falava...

Mas a pior coisa que ouvi foi quando ela, desavergonhadamente, despudoradamente, sem perceber que me fazia sofrer com tudo o que eu estava ouvindo disse, “estou há quatro meses sem ter relações”. E eu lá queria saber disso. Eu lá precisava ouvir isto?

Foi ai que tomando forças. Me sentindo um “He Man”, investi na minha “Chirra” e perguntei;

- Tu ainda estás com ele?

Ela me respondeu de pronto:

- Nada!

O tom da resposta dela me encorajou ainda mais e eu parti feito um carcará em busca da burrega.

- Posso te perguntar uma coisa?

Ela sorriu! Que sorriso lindo aquele. Ela estava se mostrando aberta a pergunta seguinte, e eu emendei.

- Qual a chance de eu ser teu próximo?

A resposta veio com a velocidade de um disco voador.

- Tá me estranhando

Aquela tarde está na minha memória até hoje. Já fiz de tudo para esquecer. Mas não consigo. Alguns dias atrás eu a vi saindo de uma loja. Estava com dois filhos. Um no braço e outro era puxado pela mão. E eu fiquei vendo aquela cena de cinema italiano. O corpinho já não era mais de bailarina espanhola e eu estou hoje aqui. Sozinho, mas enfrentando a luta diária de encontrar um novo amor.

Entendam. O homem se apaixona, enquanto as mulheres amam. Mas só quando encontram um grande amor. Antes, elas nos fazem sofrer pra caramba.

2.9.13

Era meio dia quando foi feito a troca deles pelo embaixador americano. Aquele foi um dia marcante para a história brasileira. A política tinha tomado um rumo sem volta e enquanto seus familiares ficavam para trás, homens e mulheres que entregaram a sua juventude na luta por melhorias para a população do seu país eram expulsos por terem se rebelado contra as injustiças cometidas pelos militares. Entre eles estava um magrelo que mais tarde seria um dos responsáveis por conduzir a política interna do partido que mudou a cara do Brasil.
Mas ele não foi o único. Naqueles dias um se destacou na guerrilha do Araguaia. Militante de esquerda, enfrentou os militares que tinham se apossado do poder através de um golpe militar. Na prisão foi torturado e não perdeu a ternura. Sua vida é pública sem um arranhão. Mora na mesma casa até hoje. Como diria o Mino Carta até o mundo mineral sabe que aquele baixinho é honesto.
No ano de 2005, por conta da disputa pela indicação de um diretor da Eletrobrás, que dizem seria de direito do PTB – Partido Trabalhista Brasileiro, o caldo entornou. O Roberto Jefferson, presidente da legenda, acusa o ministro da Casa Civil de segurar a nomeação. Neste tempo surge na imprensa a denúncia, com direito a vídeo, mostrando o pagamento de propina a um indicado, o ex-chefe do DECAM/ECT, Maurício Marinho, pelo partido na Empresa dos Correios e telégrafos. Jornais, impressos e a internet são inundados com informações sobre o caso. Em determinado momento fica difícil de saber o que é verdade e o que é só especulação.
A ira se abate sobre Jefferson que resolve dar uma entrevista ao jornal Folha de São Paulo. Para dar o troco ele afirma que o governo tem um esquema de pagamentos a deputados e senadores, que receberiam para aprovar projetos do executivo. A semana posterior a publicação talvez tenho sido a mais turbulenta da era PT. Muitos acreditavam na queda da República. Estava criado o termo “mensalão”. Palavra mais usada pela imprensa em todos os tempos, para se referir à política da corrupção. Uma coisa deve ser dita, as provas apresentadas até hoje, demonstraram que a denúncia não se sustenta e que no máximo indica o uso de caixa 2 para campanha eleitoral.
Criado o circo. Dois daqueles bravos jovens revolucionários foram envolvidos nas denúncias. Estavam agora sendo cassados implacavelmente pela justiça. Eles negam terem participado de qualquer movimento dentro do governo para pagamento de propina. A justiça não pensou assim. Foram parar em um julgamento televisionado ao vivo por empresas de televisão, que a cada palavra proferida contra eles, coloca um “especialista” para destilar seu veneno.
Zé Dirceu e José Genuíno, cassados pela ditadura militar no Brasil, são sobreviventes das torturas praticadas nas cadeias, estão, sendo cassados novamente. A tortura agora não é no Pau de Arara, o DOI CODI nestes tempos usa capa preta e senta na sala da Casa Grande no planalto central do país. Ela é praticada por novos senhores de engenho.Se não conseguiram antes derrota-los nas lutas das ruas, a justiça está sendo usada para cassar, praticar a tortura mental e possivelmente condena-los. Algo que nem a ditadura conseguiu fazer.
Ouvir o ministro Luís Roberto Barroso do Supremo Tribunal Federal, em seu voto afirmar que sabe que Genuíno é inocente, ao declarar, "lamento condenar homem que jamais lucrou com a política", mas ao mesmo tempo aceitar ver a maioria dos algozes condena-lo, é triste, é nojento.
Já o Zé Dirceu foi acusado de algo, que depois seu próprio acusador em juízo negou, ter dito, o inocentando. Mas dia após dia está sendo torturado, e possivelmente será preso, ele e Genuíno, como forma de revanche por ter um dia se colocado contra a elite dominante para que o Brasil tenha hoje menos miséria em suas cidades. O líder está ferido!
A indignação se abate sobre muitos militantes do Partido dos Trabalhadores e de boa parte da população brasileira. Não podemos nos abater, temos que demonstrar a nossa insatisfação, seja através de e-mails, redes sociais na internet, salas de aula ou ruas. É preciso falar, gritar aos quatros cantos do mundo que Zé Dirceu e José Genuíno estão sendo condenados injustamente. Se pecados políticos eles tem, saibam todos que não são estes de que estão sendo acusados pela justiça e pela grande mídia.
Nós queremos um julgamento justo!
Liberdade para Dirceu e Genuíno!
Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial