14.1.20

Um olhar sobre a indicação do filme “Democracia em Vertigem” ao Oscar 2020


Hoje resolvi olhar os concorrentes ao filme “Democracia em Vertigem”, que como todos sabem fala sobre o golpe e a eleição do Bolsonaro entretanto só consegui achar um dos concorrentes, o “Industria Americana” disponível no netflix e apesar de ter achado o tipo de linguagem que aborda a narrativa do documentário Brasileiro preferi a a história do documentário norte-americano entretanto meu favorito é o filme brasileiro, entretanto ambos tem algo em comum: Karl Marx ajuda a entender ambos os filmes.

Indústria americana:

O longa norte-americano se passa em 2013 na cidade de Monraine localizada no estado de Ohio e conta a história da compra de uma empresa que anteriormente pertencia a Gm por uma multinacional Chinesa, os impactos negativos na comunidade local, os conflitos internos da classe trabalhadora, a nobreza de ambos os povos, a exploração patronal nos Eua, a falta de fiscalização das grandes corporações, a criminalização dos sindicatos Estadunidenses e as diferenças culturais entre pessoas de origem chinesas e norte-americanas.

Entre os vários fatores abordados no filme, primeiro mostra-se indiretamente o fato de que os trabalhadores chineses são explorados pelos seus patrões dos quais se aproveitam da característica cultural da nação que valoriza a competitividade, trabalho e esforço (assim como todo continente asiático) tornando-se uma contradição já que o Estado Chinês oferece ao seu povo serviços básicos de muita qualidade sendo referência no mundo; entretanto este mesmo Estado Chinês está tomando providências para a melhoria de salário e por mais direitos pois acredita-se que melhorando a vida do cidadão, a economia se move e mantêm o país na hegemonia mundial.

O documentário mostra também como o neoliberalismo foi cruel com a economia americana, pois flexibilizou leis que proporcionavam o bem estar social, criminalizou-se sindicatos , a economia foi desregulamentada ao extremo,o patronato age como um pittbull sem coleira e as grandes corporações passaram a controlar o governo, como o filme deixa lacunas no fim pode-se refletir qual será o comportamento dos operários e fazer um paralelo com a conjuntura política mundial, uma das possibilidades é a classe trabalhadora brigar entre si gerando um sentimento de discriminação por outro lado ela pode identificar quem são seus verdadeiros algozes, enfim na dúvida siga marx e procure sobre a questão irlandesa abordada nas cartas trocadas com Engels em dezembro de 1869.

Democracia em vertigem:

Já o filme da Petra Costa dispensa textos grandes, é necessário apenas ver o filme, ter um conhecimento sobre a história do Brasil e saber que a história se repete, primeiro como farsa e depois como tragédia assim como disse o marx

Ps: O documentário também mostra uma necessidade da autocritica do pt, mas to com preguiça de continuar o texto e patinar no que todo mundo já disse.

Por: Bruno Mazzi.

Nenhum comentário: