6.4.18

NÓS TE AGRADECEMOS, MORO.


Nada melhor que um inimigo burro, mal dissimulado, medíocre, capaz de meter os pés pelas mãos, afoito nas sacanagens, acreditando que é o máximo porque não se sabe só um instrumento de outros, a ser abandonado logo que se torne inconveniente ou desnecessário.

Como pai, avô e com longa experiência no magistério, aprendi que o cinismo, o mudar de comportamento, trai o malfeitor, que assim se entrega de bandeja.
Até poucos dias o desprezo de Moro por Lula, por sua biografia, era público e notório, com o impostor de Curitiba tratando-o por bandido, e o seu segundo, pastor no Ministério Público, chamando o ex presidente de chefe de quadrilha.

Agora, mudou totalmente o comportamento, por pouco não se confessando hipocritamente ser um admirador de Lula, como a criança arteira de cabeça baixa diante do pai, o bandido rei do pedaço, que na delegacia se faz de congregado mariano ou escoteiro, o adúltero flagrado, pronunciando “não é o que você está pensando”.

Ridículo, dissimulado, covarde.

Lula, em discurso, ontem, afirmou que não irá se entregar, um direito dele, uma vez que foi convidado a se entregar, para que no ato o Delegado da Polícia Federal lhe apresente o Mandado de Prisão.

Isto quer dizer que Lula não está obrigado a se apresentar, já que não tomou conhecimento oficialmente deste mandado e, não se apresentando não pode ser considerado revel ou foragido.
Ontem um bolsonarista, este estágio evolucionário entre amebas e vermes, foi para a porta do Instituto Lula provocar, até o momento em que chamou Lula de viado, quando um petista deu-lhe, MERECIDAMENTE, um pontapé, porque já não se tratava mais de manifestação política, mas de agressão pessoal.

O infeliz caiu, bateu com a cabeça no chão e foi hospitalizado, com os médicos constatando ter sido apenas um ferimento superficial.

O episódio foi a amostra grátis do que está por vir.

O que pretende Moro, este quase interventor norte-americano no Brasil?

Que o tecido social brasileiro se desintegre ainda mais, facilitando um golpe militar, para que de novo a nossa economia seja entregue ao império? Uma guerra civil, para justificar uma intervenção direta, com a substituição da remuneração de lesas pátrias pela ocupação territorial?

Moro já produziu mais estragos e prejuízos à Petrobras que todas as quadrilhas de corruptos juntos, desde a sua fundação, enfraquecendo-a, para facilitar a privatização. Moro já destruiu a Odebrecht, uma das dez maiores empreiteiras do mundo, já fez milhões de desempregados, e agora partiu para o ato final, insanamente, aprofundando a divisão do povo brasileiro.

Lula não se entregará e a cidade de São Bernardo do Campo está sendo tomada pela militância. Em todos os estados próximos de São Paulo estão se formando caravanas em ritmo de urgência, hoje a Petrobras faz assembléia dos seus funcionários, apontando para uma greve por tempo indeterminado, o mesmo faz a CUT, e o MST deliberou o bloqueio de todas as estradas brasileiras.

Foram longe demais e a resposta está aí: o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo dos Campos tornou-se uma democrática trincheira, onde o povo resistirá, junto com Lula e Dilma que lá estão e de lá não sairão, como afirmaram.

A mídia nacional e internacional está toda lá, esperando o início do conflito, que poderá ser o primeiro passo na sublevação nacional, exceto a Tevê Globo, que apenas sobrevoa, em seu helicóptero.

É típico dos covardes fugir do enfrentamento direto.

Anteontem postei matéria afirmando que ontem poderia ser o “Dia D” brasileiro, dia do desembarque aliado na Europa, para acabar com o nazifascismo.

Tudo aponta que sim, que ontem foi o dia d brasileiro, com o povo se preparando para desembarcar no poder e acabar com o fascisgolpismo.

“Ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil”

Por Francisco Costa

Nenhum comentário: