19.1.18

Tese: a sociedade que queremos. (Por Daniel da Costa)

Tenho uma tese que pode ajudar na construção da sociedade que queremos. 

Toda a desgraça desse país, imposta por uma minoria de canalhas, se funda sobre a incapacidade das pessoas em geral de fazerem e de possuírem uma competência para pensar minimamente a lógica da vida social. 

Aqui neste país, o individualismo é tão gritante, camuflado pelo caráter de solidariedade do brasileiro, mas que fica só no nível do individual, do assistencialismo, que é como se a sociedade nem existisse. É como se a vida em sociedade não impusesse suas próprias reivindicações específicas e diferentes da vida individual, que não necessariamente se relacional ao modelo do individualismo da ideologia liberal.

No Brasil, em geral, predomina o fato de que tudo é avaliado a partir do imediatismo dos estímulos a que os indivíduos ficam expostos ao bel prazer da minoria canalha oportunista e aproveitadora da situação. 

Nesse sentido, o povo brasileiro é visto pela minoria canalha oportunista como um manada de animais (mídia, igrejas, políticos defensores da ideologia liberal,  como o embolsanaro, que diz resolver todos os problemas pondo uma arma na mão de todo mundo etc.). 

Os animais vivem presos ao imediatismo (estimulo-resposta) próprio da estrutura instintiva pela qual sobrevivem como animais. 

Assim, creio que o presidente Lula acatou minha dica de propor a federalização do ensino médio. Que irá tirar a juventude das garras da imbecilização individualista da ideologia liberal defendida por partidos como PSDB, que destrói o estado de sp há mais de 25 anos. E que se mantém no cinismo liberal típico afirmando que não melhoram a escola pública e nem o salário dos professores etc por falta de dinheiro blá blá blá Na verdade, já sabemos que se trata do modus operandi da quadrilha do PSDB em relação à coisa pública: primeiro tomam o poder, daí sucateam tudo que é público e diga respeito ao bem comum, depois concluem dizendo cinicamente: "Vejam como o serviço público não funciona. Tem que privatizar. O estado não é para essas coisas etc."

Assim, além do presidente Lula assumir para si essa responsabilidade com a educação da juventude, que vai fazer um grande favor aos políticos liberais tirando deles está responsabilidade para a qual nunca há dinheiro e, assim, injustamente sempre exigindo destes gestores competentes do PSDB e outros liberais algo impossível. 

E aqui vai a segunda dica de um professor e pedagogo: substituir os falsos valores do individualismo e da competição, da ideologia liberal, pelos verdadeiros valores da singularidade humana expressa pela noção de "pessoa", e não individuo; e da "cooperação", contra a competição. E isso através da inserção e ênfase da lógica da vida social, da vida coletiva ou comunitária, sobre a lógica do individualismo que hoje predomina nos CURRÍCULOS ESCOLARES. 

Essa é uma atitude de base e que representa um anteparo educacional contra todo o golpismo futuro. 

É necessário criar um currículo escolar que privilegie o desenvolvimento da competência da lógica das relações sociais, da vida coletiva. Sem o que o Brasil não conseguirá dar um passo à frente em direção à criação de uma nação brasileira democrática e inclusiva. Sem isso, nunca poderemos construir o SENTIDO DE UMA COMUNIDADE DE DESTINO.

Por Daniel da Costa.

Nenhum comentário: