7.4.17

IURY ROQUE

Primeiro voto de Caio Roque é em Lula

A reforma política necessária não é possível.

Com um Congresso desmoralizado e partidos que não representam ninguém, vamos para mais um arremedo.
A chamada reforma política, há tanto requerida por gregos e troianos – sua necessidade e urgência talvez seja a única unanimidade de nossos tempos – far-se-á em momento inadequado e, por tudo o que é sabido, não será, ainda, a reforma necessária. Esta deverá esperar outras circunstâncias, como uma Constituinte com condições políticas de passar o País a limpo.
Na realidade, o que nos é apresentado são tentativas de correção do processo eleitoral sem qualquer incursão na legislação partidária, e muito menos nas funções e competência do Poder Judiciário, mormente o Tribunal Superior Eleitoral. Não se cogita, não se pode cogitar, da reforma do Estado. Qualquer que seja o alcance dessa reforma em gestação no Congresso, será, portanto, uma minirreforma capenga. Uma entre tantas das muitas que vêm sendo ditadas desde 1985. Para usar um termo em uso na República de Temer, uma ‘pinguela’ para podermos chegar a 2018 com uma ordem jurídica razoavelmente conhecida, sem abalos de última hora, sem golpes legislativos ou judiciais.
Os momentos de crise, e crise profunda como a que o País está vivendo, são os menos indicados para reformas políticas, e ainda menos aconselhável é que essas reformas fiquem à conta de um Parlamento e de partidos que nada representam: a crise fundamental é de legitimidade dos poderes. Mas é o que temos e sobre todas essas contingências negativas, sobreleva a certeza consensual segundo a qual não teremos eleições minimamente legítimas e legitimadoras se a atual legislação, condenada, não for alterada. Vamos, então, para mais um arremedo.
Nesses termos, se a reforma política necessária ainda não está na ordem do dia – porque não atenderá aos interesses da nova hegemonia que tomou de assalto o Estado e controla o Congresso –, tratemos da reforma possível, segundo as condições disponíveis. Nesse sentido caminha o relatório do deputado Vicente Cândido (PT-SP).
Duas de suas propostas, cruciais, exigem emenda constitucional, o que pode retardar a reforma, que, assim, mais uma vez será implantada por etapas, portanto carente de uma lógica interna. São elas o fim da reeleição para todos os níveis do Executivo (acompanhada do aumento dos respectivos mandatos de quatro para cinco anos), e, finalmente, a instituição de mandato de dez anos, não renováveis, para ministros e membros das Cortes, como o Supremo Tribunal Federal. É evidente que essa só medida não corrige as mazelas todas do nosso lamentável e antidemocrático Poder Judiciário em suas diversas instâncias, mas é alvissareiro ponto de partida.
O relator também incorpora a instituição da chamada ‘lista fechada’ para as eleições parlamentares, mediante a qual a ordem dos possíveis eleitos é predeterminada pelo partido. O eleitor, ao invés de, como até aqui, votar num determinado candidato, vota num partido, uma ficção no lamentável quadro político brasileiro. Esta tese foi sempre defendida pelo campo das esquerdas (cujos partidos são aqueles que mais guardam organicidade), e combatida pela direita e pelo ‘Centrão’, no Congresso, mas agora é ardentemente defendida pelas lideranças dos grandes partidos conservadores – PMDB, PSDB, DEM  et caterva – e, significativamente, contra ela se insurge a grande imprensa, que vê na medida uma artimanha para salvar os mandatos de parlamentares acusados de irregularidades e, assim, carentes de apoio popular (isto é, votos).
Há, porém, a este propósito, uma questão de fundo: a já referida falência de nosso sistema de partidos, siglas na sua maioria administradas por gerentes ou caciques e suas oligarquias, em quase todos os casos sem qualquer prática de democracia interna. Na verdade, dominada a ordenação das listas pelas direções partidárias, o novo sistema terminará por converter-se em instrumento conservador de mandatos, fortalecendo as oligarquias partidárias e dificultando a sempre necessária renovação de mandatos parlamentares.
Não é possível uma reforma qualquer, nesse aspecto, se não se cogita de por em debate a atual legislação partidária.
Outro antigo pleito acolhido pelo deputado Vicente Cândido é o fim das coligações nas eleições proporcionais, mas ele se esquece de instituir, pari passu, a federação de partidos. Assim, com o bom propósito de punir as siglas de aluguel e negócios escusos, se estará, na verdade, impedindo que correntes ideológicas no extremo do espectro político tenham representação no Congresso.
Há questões graves que permanecem intocadas, a saber, o rateio do fundo partidário e do tempo de televisão, fundamentais nas campanhas. É evidente que é necessário exigir-se um razoável desempenho eleitoral, tanto para que o partido tenha representação parlamentar, quanto para que tenha acesso a tempo de televisão – em regra utilizado pelas siglas comerciais, a maioria, para vender coligações nos pleitos majoritários, quando o desempenho no horário eleitoral gerido pelo TSE torna-se decisivo.
A propósito de TSE, a reforma não cogita de pôr cobro ao seu nocivo hábito de, a pretexto de regulamentar a legislação em cada eleição, mesmo quando não há alteração legislativa, ingressar no velho vezo, que terá aprendido com o Supremo, de atuar como se fora poder legiferante.
O financiamento público das campanhas – a realidade grita – é medida inadiável e necessária, e o Fundo Eleitoral precisará de régua e compasso para assegurar que a isonomia partidária não se transforme em instrumento de pulverização dos recursos púbicos, ou que estes se tornem mais um instrumento de poder das oligarquias partidárias.
Mas precisa complementar-se com a drástica redução dos custos das campanhas eleitorais, comandadas – com as estarrecedoras e conhecidas consequências – por marqueteiros desvinculados da política ou de qualquer juízo ideológico, cujo papel, milionário, é o de intervir para manipular a opinião dos eleitores com artifícios alheios à política, de particular nos programas de televisão. Estes deverão ser postos a serviço da transparência, seu conteúdo deve ser tão-só o discurso puro e limpo do candidato, sem participação de terceiros, sem truques e sem trucagens e sem os conhecidos recursos da mídia comercial.
As dificuldades visando à implantação dessas medidas, tão poucas, e o relator merece nossas homenagens, são indicativas da crise política que, não podendo sanar, a reforma de hoje tenta contornar.
Não é ainda a travessia para um regime legítimo, popular, representativo, mas é o primeiro e necessário passo para que, asseguradas as eleições de 2018, possamos partir para uma Constituinte que, legítima e legitimadora, reconstrua a ordem constitucional-democrática comprometida com a emergência das massas e o aprofundamento da democracia que, curando a democracia representativa de suas limitações de hoje, caminhe para a democracia participativa – que era, aliás, o projeto do constituinte de 1988.
Essa Constituinte não descerá do céu como milagre dos deuses apiedados com nossa tragédia continuada, mas dependerá da organização popular que, por seu turno, dependerá de novas direções e comandos. Ou seja, dependerá de partidos políticos e políticos, líderes e não gestores, capazes de construir uma nova hegemonia – esta, democrático-popular – que terá substituído a súcia que tomou de assalto a República, grupo poderoso que todavia não representa a complexidade das relações sociais, composto que é pelo conluio oportunista do agronegócio, com o clero evangélico-mediático e o capital financeiro rentista, nacional e internacional.
Lá como aqui. O candidato da direita no Equador, derrotado por Lenin Moreno, vice-presidente de Rafael Correa, reagiu à vitória da esquerda tal qual, aqui, seu colega Aécio Neves: pedindo recontagem dos votos. Lenin igualmente derrotou todas as previsões, expectativas e anseios da grande mídia brasileira.
Roberto Amaral é escritor e ex-ministro de Ciência e Tecnologia.

Banda de rock atmosférico realiza turnê pela Bahia.

Na Alembaía Tour, a Órbita Móbile parte do seu lugar de origem, Paulo Afonso (BA), apresenta seu primeiro álbum “Sonho Robô” e lança uma nova plataforma para circulação de músicas: um quadrinho futurista.

Rock, ficção científica e tecnologia: estes são os elementos que a banda Órbita Móbile levará, na sua primeira turnê, a quatro cidades da Bahia. Com shows gratuitos em Paulo Afonso (15 de abril), Rodelas (17 de abril), Abaré (18 de abril) e Chorrochó (19 de abril), a Alembaía Tour pretende fazer circular a produção musical presente nas interseções nem sempre visíveis dos espaços fronteiriços do estado e da arte.
Além dos shows, a turnê inclui oficinas de produção musical, que envolverão comunidades indígenas da região de Itaparica, e o lançamento de “Sonho Robô: Crônicas de Forquilha Town”, livro-plataforma que, além de apresentar em quadrinhos a história que dá origem ao primeiro disco da banda, dará acesso ao download das músicas via código QR – código bidimensional que é facilmente acessado através das câmeras dos celulares. A turnê acontece com apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural e Secretaria de Cultura da Bahia.

Rota do Tempo
Alembaía parte da cidade onde a Órbita Móbile foi criada. Formada por Augusto Kuarupp (vocal), Igor Galindo (bateria) e Matheus Carvalho (guitarra), nascidos em Paulo Afonso, além do soteropolitano Mateus Fraga (baixo), a banda foi fundada há 10 anos, como forma de evidenciar o hibridismo e a diversidade cultural presente na região da antiga Forquilha, hoje Paulo Afonso, cruzamento de diversos povos e  de estados do Nordeste.
Na encruzilhada estética em que se encontra, a banda traz à tona um discurso poético baseado em narrativas tecnológicas e no rock’n’roll. Estes dois elementos amarram as influências musicais  de manguebeat, baião, drum’n’bass, samba rock, funk, hip hop, vaneirão, ópera, reggae, bossa nova, maracatu e pagode, junto com a cultura ancestral indígenas e com referências literárias e cinematográficas compostas por de narrativas de ficção científica, como Isaac Azimov, Aldous Huxley, “Matrix”, “Blade Runner”, Laranja Mecânica”, entre outros. É rock atmosférico, ao mesmo tempo plugado com as raízes do sertão e conectado com questionamentos e poéticas artísticas universais.
 Os shows da turnê apresentam “Sonho Robô”, o primeiro disco da Órbita Móbile, que trata de uma humanidade que supostamente desistiu das utopias e se utiliza da tecnologia para voltar a sonhar. Lançado digitalmente em 2016, o disco ganha nova roupagem para a turnê. Com argumento de Kuarupp, que além de vocalista da banda, é roteirista de quadrinhos,  e ilustrações do artista Mauro Caparroz, a HQ  “Sonho Robô: Crônicas de Forquilha Town” se passa em 2101 e conta a história de uma agente federal e seu parceiro robô, que encontram ciborgues com cérebros humanos portadores de um nanochip com o Algorítmo Quântico para Subjetivação de Consciências Artificiais – AQUASCA. A revista, que será distribuída gratuitamente, configura uma plataforma inovadora de distribuição, uma vez que dará acesso direto e rápido via QR code para download das músicas.
Conexão ancestral
A experiência tecnológica de produção musical dos componentes da banda também será compartilhada durante o mês de abril, com a realização de oficinas envolvendo três comunidades indígenas da região: Tuxá (Rodelas), Truká Tupan (Paulo Afonso) e Pankararé (Glória). As atividades terão duração de 20 horas e tratarão sobre técnicas de produção musical, gravação com softwares livres, mixagem e divulgação e disseminação da música digital através das redes.

SERVIÇO – ALEMBAÍA TOUR
Órbita Móbile – Sonho Robô

Paulo Afonso - Forquilha Town Transmídia Festival
Local: Centro de Cultura Lindinalva Cabral
Data: 15 de abril (sábado)
Horário: 22h (a programação do festival inicia às 16h)
Quanto: grátis

Rodelas
Local: Praça Almeida Justinano Soares (Centro)
Data: 17 de abril (segunda)
Horário: 19h
Quanto: grátis

Abaré
Local: Praça de Eventos da Cidade de Abaré (Centro), próximo à Prefeitura
Data: 18 de abril (terça)
Horário: 19h
Quanto: grátis

Chorrochó
Local: Praça da Matriz – Rua Coronel João Sá (centro)
Data: 19 de abril (quarta)
Horário: 19h
Quanto: grátis

Mais informações: www.orbitamobile.rocks
Ouça e baixar “Sonho Robô”.


Domingos Meirelles faz palestra em Salvador no Dia do Jornalista.

O jornalista, apresentador de televisão, historiador e escritor Domingos Meirelles, presidente da Associação Brasileira de Imprensa - ABI, faz palestra nesta sexta-feira (7), na sede da ABI Bahia, às 9h.

O evento, que tem apoio do Governo do Estado, traz palestras que terão como temas: "As relações entre a mídia e o poder, as fronteiras entre a história, o jornalismo e a literatura"” e, "A censura sobre a Imprensa e o Poder Judiciário".

A programação acontece em comemoração ao Dia do Jornalista e é aberta a empresários do setor, políticos e estudantes de Comunicação.

Domingos Meireilles apresenta, atualmente, o Repórter Record Investigação. Ao longo de sua carreira, conquistou mais de 40 prêmios, entre os quais se destacam três Prêmios Esso, quatro Wladimir Herzog de Direitos Humanos e dois Prêmios Rei de Espanha de Televisão, maior premiação jornalística dos povos de língua portuguesa e espanhola.

Voluntárias Sociais da Bahia anuncia forró beneficente com Bell Marques.

A primeira-dama do Estado e presidente das Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA), Aline Peixoto, anunciou a realização de mais um evento beneficente promovido pela instituição com o objetivo de aumentar a oferta dos serviços de saúde a pacientes com câncer no estado. Desta vez, a ação das Voluntárias tem como objetivo garantir recursos para realização de obras de ampliação do Hospital Aristides Maltez, que recebeu a visita de Aline e do cantor Bell Marques na tarde desta quinta-feira (6).
A festa, batizada de Forró Solidário, vai acontecer no mês de maio, em Salvador. Presente na visita desta quinta, o superintendente da Liga Bahiana contra o Câncer, Humberto Luciano Souza, destacou a importância da ação, idealizada pela presidente das Voluntárias: “Somos o hospital que mais opera câncer no Brasil pelo SUS [Sistema Único de Saúde] e o evento vai garantir um retorno fantástico à população”, afirmou Humberto. 

Os detalhes do Forró Solidário serão apresentados na próxima segunda-feira (10), em coletiva de imprensa no Hospital Aristides Maltez às 14h, que terá a participação de Bell Marques e da outra atração, ainda mantida em segredo pelas Voluntárias.

6.4.17

Rogério Carvalho intensifica visitas em busca de apoio e votos para sua releição.

No próximo domingo, 09, acontecerá em todo o país o processo eleitoral para a escolha de membros para os diretórios municipais ne estaduais pelos filiados do Partido dos Trabalhadores. Em Sergipe o presidente atual da legenda no estado Rogério carvalho, é candidato a reeleição. Ele tem o apoio dos deputados João Daniel, Federal e Francisco Gualberto, Estadual. Além de Márcio Macedo, atual tesoureiro nacional do PT.
Rogério vem fazendo visitas as bases partidárias em busca de apoio e votos. Para isso ele não está medindo esforças. Ontem esteve nas cidades de Estância e reunião com a militância. Ele terminou a noite em Aracaju em um encontro cujo o objetivo é unir o PT. O encontro foi no sindicato dos bancários e teve como tema: Varias forças, uma só luta.

Hoje ele já esteve nos municípios de Japaratuba e Carmópolis, e passará o dia no Baixo São Francisco em visitas políticas.  Segundo a sua assessoria, a recepção vem sendo muito boa e com isso, eles vislumbram uma votação bastante expressiva para o candidato, que irá consolidar sua vitória e liderança no Partido dos Trabalhadores em Sergipe.

Carvalho é natural de Aracaju, e começou sua atuação política no movimento estudantil, enquanto cursava Medicina na UFS - Universidade Federal de Sergipe. Depois, cursou doutorado na Unicamp em São Paulo. Onde foi presidente do Centro Acadêmico e da Direção Nacional dos Estudantes de Medicina, além de membro da Diretoria Executiva da UNE. Entre 2001 e 2006 ocupou o cargo de secretário de Saúde de Aracaju e do estado de Sergipe. Foi eleito deputado estadual e federal, sendo o deputado federal mais bem votado do estado naquela eleição.

Deputado Bordalo está sendo ameaçado de morte.

O deputado estadual Carlos Bordalo (PT) denunciou que está sendo ameaçado de morte. O parlamentar é presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) e foirelator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Milícias, concluída em janeiro de 2015. O parlamentar paraense fez a denúncia durante um pronunciamento, na manhã desta quarta-feira (05/04), na tribuna do parlamento. Segundo o deputado, as ameaças também são direcionadas aos seus filhos e pessoas mais próximas.

“Recebi ameaças de morte na época em que fui relator da CPI das Milícias, mas depois de um tempo elas pararam de ser feitas. No entanto, mais recentemente, voltamos a receber esses recados, durante o período do julgamento de comandantes de milícias da chacina ocorrida no Guamá (em novembro de 2014)e que foram apontados no relatório da CPI das Milícias. Recentemente, uma pessoa foi até o meu gabinete, dizendo que teve acesso a informações de reuniões desses grupos em Belém, que decretaram a minha morte, e que se não me matarem, vão matar filhos, namorada e quem estiver ao meu redor”, denunciou o deputado Carlos Bordalo, na tribuna do plenário Newton Miranda.

O parlamentar acredita que o Governo do Estado do Pará deve tomar providências para conter a crescente violência no Estado. “As denúncias são reveladoras do estado de descontrole que chegamos na segurança pública, do poder desses grupos de extermínio e de milícias no Pará. Grupos que perderam completamente o respeito pela autoridade, porque quando lançam uma ameaça destas a um parlamentar, no exercício do mandato, presidente da Comissão de Direitos Humanos do Poder Legislativo, é um recado claro de que não respeitam mais ninguém: nem polícia, nem Justiça. O Estado precisa tomar uma providência imediata, não só para proteger a vida do deputado, mas é preciso um esforço para proteger a vida da sociedade”, avaliou o parlamentar.

O cabo Antônio Figueiredo tinha 43 anos quando foi morto no bairro do Guamá, em Belém, no dia 4 de novembro de 2014. Na época do crime, ele estava afastado da corporação. Em decorrência da morte do policial, outras dez pessoas foram assassinadas em cinco bairros de Belém, durante a noite e a madrugada do dia 5. A décima vítima foi Allesson Carvalho, de 37 anos. A polícia prendeu sete pessoas, quatro acusadas de participar da chacina e as demais teriam envolvimento na morte do cabo da Polícia Militar. A Promotoria de Justiça Militar indiciou 14 PMs por participação na chacina. A corporação abriu investigação contra nove policiais. Os processos não foram concluídos.

O caso resultou na instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Milícias, em 2014, a partir de requerimento do então deputado estadual Edmilson Rodrigues (PSOL), atualmente deputado federal, na qual o deputado Carlos Bordalo (PT) foi o relator. No dia 21 de março deste ano, o Tribunal do Júri da 3ª Vara Criminal de Belém sentenciou o ex-policial militar Otacílio José Queiroz Gonçalves a 29 anos de reclusão por milícia privada e pelo assassinato o adolescente Eduardo Galúcio Chaves, de 16 anos, uma das vítimas da série de assassinatos ocorrida em vários bairros da capital, em novembro de 2014, após a morte do cabo Antônio Figueiredo. José Augusto da Silva Costa, o Zé da Moto, foi condenado a 15 anos de reclusão por homicídio qualificado e pelo assassinato de Nadson Roberto da Costa Araújo.


Serin e Josias Gomes exprimem pesar pelo falecimento do ex-prefeito de Abaíra.

A Secretaria de Relações Institucionais (Serin) do Estado da Bahia, através do secretário Josias Gomes, expressa seu pesar pelo falecimento - na terça-feira (04 de abril) - do ex-prefeito (1998 a 2002) e ex-vereador por diversos mandatos - do município de Abaíra, Edmundo Oliveira.

Segundo o vereador Antônio Cruz Campos – conhecido por “Tõe Campos” - do PTN de Abaíra, o ex-prefeito era uma pessoa querida por todos no município.

“Era uma boa pessoa, sempre ajudando o próximo, sem perguntar em quem votava e qual a filiação partidária. Mantinha sua casa aberta 24 horas ao povo. É uma grande perda para todas as pessoas que moram e que o conheceram em Abaíra”, diz o vereador Tõe Campos.

“Abaíra perde seu filho ilustre, uma pessoa querida e admirada por todos. Quando se fala em Edmundo, associamos sua figura com as diversas obras que implantou no município. Entre elas, levou água do Brejo da Fama para Abaíra, conseguiu a Praça de Eventos, escola em Ouro Verde, asfaltamento da estrada de Piatã a Abaíra, e o Estádio Municipal, entre tantas outras”, conclui o vereador.


O prefeito de Abaíra, Edval Luz Silva (PTB), conhecido por “Diga”, decretou luto oficial por 3 dias pelo falecimento de Edmundo Oliveira, em razão dos “grandes serviços por ele prestados ao município e em sinal de pesar e homenagem aos seus familiares”, diz o prefeito em nota oficial.

Amargosa dá o pontapé inicial ao São João da Bahia.

Três grandes representantes do ritmo nordestino se reunirão no Forró do Harém

As ruas tranqüilas de Amargosa, a 240 km da capital, se transformam durante os festejos juninos. Nesta época, o badalado São João da cidade atrai gente de todas as regiões e os setores de serviços e comércio ficam bastante movimentados. Neste ano, a programação junina decidiu chegar um pouco mais cedo com o Forró do Harém que acontece no próximo dia 15 de abril, feriado da Semana Santa. O forrozeiro Virgílio e o sanfoneiro Julio César se unem ao som da banda Laços do Forró para juntos dar o pontapé inicial nos festejos da cidade que é tradicionalmente conhecida como a capital do forró baiano.

Virgílio
Por muitos anos, Virgílio cantou puxando trios elétricos no Carnaval da Bahia, e resolveu trilhar pelos caminhos do forró lançando, em 2006, o CD intitulado Festa de São João. Contemplando os diversos estilos do forró como o xote, o baião, o galope e o arrasta-pé, Virgílio mostra toda sua musicalidade, botando todo mundo para dançar o autêntico forró.

Júlio César
O sanfoneiro baiano Júlio César nasceu em Alagoinhas, passou parte de sua infância em Maragojipe, terra que imprimiu em sua musicalidade as raízes do Recôncavo. Exímio instrumentista, Júlio é um pesquisador de tudo relacionado a forró tradicional e dedica-se especialmente ao estudo da obra do mestre Dominguinhos, de quem é admirador.

Laços do Forró

A banda Laços do Forró vem mantendo o tempero e molejo do gênero do forró e embalando sucessos incluindo sua nova música de trabalho ELA QUER FAZER COMIGO, de seu novo CD Laços do Forró “Indo pra Balada” gravado no Studio Tape Music, referência para as bandas famosas de forró.

5.4.17

Papa dando o recado.


Feira da Reforma Agrária.


André Moura recebe diretoria da AGU no gabinete em Brasília

O líder do Governo no Congresso Nacional, deputado André Moura (PSC-SE), recebeu nesta terça-feira, 04, no gabinete da liderança, em Brasília, parte da diretoria da Advocacia-Geral da União (AGU). Os dirigentes foram até o deputado para expor a preocupação com o regime de tramitação da proposta de alteração da Lei Complementar n° 73/93, conhecida como Lei Orgânica da AGU, além do projeto de criação do Plano Especial de Cargos das Carreiras de Apoio da instituição.


Leia matéria completa AQUI.

Prefeitura de Própria convoca beneficiários do Bolsa família.

A Prefeitura Municipal de Propriá, através da Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS), comunica aos beneficiários do Programa Bolsa Família do Povoado São Vicente (Escola Agrícola) e Assentamento Padre Cícero (Escola Municipal Dom José Brandão de Castro), que haverá reunião hoje, 05, com a Equipe Técnica do Centro de Referência de Assistência Social - CRAS, a ser realizada, às 14h.

Secretária de saúde alerta para morte de micos na cidade.

A Prefeitura de Paulo Afonso, através da Secretaria Municipal de Saúde alerta a população sobre as mortes ou adoecimento de micos (saguis) ou macacos. Caso algum popular encontre um desses animais morto ou doente, não deve tocar ou mexer, e ligar imediatamente para a Vigilância Epidemiológica Municipal: 3282-5832 ou procurar um posto de saúde mais próximo e comunicar o ocorrido para que as autoridades competentes façam o resgate do animal.

Vale ressaltar que os micos e macacos não transmitem a febre amarela. Eles são as primeiras vítimas da febre amarela silvestre e servem de alerta em caso da presença do vírus.

A febre amarela é transmitida pela picada do mosquito Haemagogus ou Aedes Aegypti e tem como principais sintomas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas, vômitos, e na forma mais grave, olhos e peles amarelados, hemorragias e cansaço intenso.

Comunicamos também que até o momento não há circulação do vírus em Paulo Afonso, mas em cidades baianas como Salvador e Alagoinhas já foram confirmadas mortes de macacos pela doença.

4.4.17

Governo do Estado reúne jovens estudantes para apresentar novidades da Campus Party Bahia.

Cinco dias de programação 24 horas por dia, 300 horas de conteúdos em mais de 30 áreas de conhecimento, expectativa de mais de quatro mil participantes e presença de convidados de renome nacional e internacional. Estas foram algumas das novidades anunciadas pelo governador Rui Costa, na manhã desta segunda-feira (3), durante a coletiva de apresentação da Campus Party Bahia. Jovens estudantes universitários e dos ensinos Médio e Profissionalizante marcaram presença para conhecer mais sobre o evento internacional de tecnologia que vai acontecer, pela primeira vez em território baiano, entre os dias 9 e 13 de agosto, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Estudante do curso de Sistema de Informações na Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Emmanuel Argollo,vai ter uma oportunidade que esperava há muito tempo. “Minha expectativa é a melhor possível. É um evento que eu sempre tive vontade de participar, mas não conseguia ir por questões financeiras, e estou muito feliz. Nós, estudantes da área de tecnologia, vamos poder ver muita coisa e tudo muito atual, inclusive coisas que não vemos na faculdade ainda e podemos vir a estudar no futuro”.

Uma grande estrutura será montada na Arena Fonte Nova para receber e abrigar os campuseiros, como são chamados os participantes do evento. O presidente da Campus Party, Francesco Farrugia, participou da coletiva e exaltou o evento como “a maior experiência tecnológica do mundo”. “Traremos os melhores do mundo em 30 áreas de conhecimento para ensinar o que há de mais novo acontecendo no planeta. É um acontecimento para os jovens fanáticos por tecnologia. Eles vão encontrar um ecossistema que fala as mesmas linguagens que eles gostam”.

Após o evento de apresentação, a expectativa também empolgou a jovem Isabela Vaquer, estudante do Ensino Médio no Colégio Rotary, no bairro de Itapuã, em Salvador. “Eu achei uma ideia genial trazer esse evento para a Bahia. Estou muito animada e sei que vai ser para todos os jovens que gostam de tecnologia e não têm oportunidade de entrar em contato com esse assunto. É um evento muito grande. Eu já li sobre ele e aposto que vai ser ótimo”.

Para promover o intercâmbio de informações entre os participantes, o presidente do evento anunciou que, durante os cinco dias, será disponibilizado na Arena Fonte Nova conexão de internet de 20 gigabites, o que vai gerar uma velocidade de transmissão de dados muito maior do que é disponibilizado normalmente em conexões domésticas e empresariais, por exemplo.


Foto: Manu Dias.

UGT Bahia discute greve geral em Plenária

No dia 5 de abril, A UGT Bahia realizará a sua 4ª Plenária Estadual. Serão discutidos temas relacionados à organização da luta contra a retirada de direitos e a preparação para a greve geral. O presidente nacional da UGT, Ricardo Patah, estará presente à atividade. Magno Lavigne, presidente estadual da entidade, reforça a importância da ampla mobilização dos trabalhadores diante do cenário de retirada de direitos.

3.4.17

Rui inicia semana focando em tecnologia.



O governador Rui Costa começa a semana de trabalho na capital baiana dando ênfase à tecnologia. Na manhã desta segunda-feira (3), ele recebe a imprensa, além de secretários, deputados e alunos de robótica, para falar sobre o Campus Party, um dos maiores eventos de tecnologia do mundo, que em 2018 será realizado na Bahia. O encontro acontece no Salão de Atos da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

Na terça-feira (4), Rui visita o município de Feira de Santana, no centro norte baiano, onde cumpre intensa agenda. Às 9h, ele inaugura a nova sede da representação regional da Procuradoria Geral do Estado (PGE), além de participar da comemoração de aniversário do órgão. Ainda no município, Rui assina ordem de serviço para a construção da Policlínica Regional e segue dando ordem de serviço para início das obras de ampliação do sistema adutor das estações elevatórias de água tratada.

Dando continuidade à visita à “princesinha do sertão”, o governador faz a entrega de equipamentos de salvamento, além de veículos, para o 2° Grupamento de Bombeiros Militares da cidade. Ainda na área da segurança, Rui faz a entrega de seis viaturas para a Polícia Civil reforçar a frota do município. Fechando os compromissos na parte da manhã, o governador entrega dez viaturas para a Polícia Militar.


Ainda na terça (04), de volta a Salvador, Rui assina, às 14h, o contrato de publicização da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA). Na ocasião, ele participa da camerística da Orquestra. O evento acontece no Foyer do Teatro Castro Alves (TCA), no Campo Grande.

Em Feira, Rui autoriza construção da Policlínica Regional, obras de água e entrega viaturas para as polícias.

Em visita a Feira de Santana nesta terça-feira (4), o governador Rui Costa autoriza o início das obras de construção da Policlínica Regional e de ampliação do sistema adutor de duas estações elevatórias de água tratada da Embasa no município. O primeiro compromisso do governador em Feira, na Avenida Presidente Dutra (na entrada da cidade), às 9h, é a inauguração da nova sede da Procuradoria Geral do Estado – PGE, que marca as comemorações pelo aniversário da instituição. 

Em seguida, às 10h40, no terreno onde será construída a Policlínica Regional, também na Avenida Presidente Dutra, o governador autoriza o início das obras da Policlínica e da ampliação do sistema adutor da Embasa, e ainda faz a entrega de 17 viaturas para as polícias Civil e Militar de Feira e equipamentos e veículos para o 2º Grupamento de Bombeiros Militares – 2º GBM.

Fim do Ciência Sem Fronteiras é mais uma etapa de desmonte da educação, diz secretário de Juventude do PT-BA.

O secretário estadual de juventude do Partido dos Trabalhadores (PT) na Bahia, Matheus Maciel, repudiou veementemente o fim do programa federal Ciência Sem Fronteiras, anunciado neste domingo (2).

"O Ciência Sem Fronteiras concedeu quase 100 mil bolsas de estudo no exterior para a juventude brasileira. Foi graças ao programa que o acesso à grandes universidades do mundo foi possível para grande parcela da população, conseguindo trazer novos conhecimentos e novas técnica para o país", pontuou o secretário de juventude.

Criado em 2011, no início da gestão da presidenta Dilma Rousseff, o Ciência Sem Fronteiras era destinado, principalmente, a estudantes de graduação. Do total de bolsas concedidas em cinco anos, cerca de 80% foi para essa população.

Agora, o ministro da Educação, Mendonça Filho, justifica o fim do programa afirmando que os R$ 3,2 bilhões investidos no Ciência sem Fronteiras em 2015 poderiam ser mais bem aplicados na compra de merenda escolar.

Para o secretário Matheus Maciel, o fim do Ciência Sem Fronteiras também representa o fim de um dos maiores direitos adquiridos pela juventude nos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma Rousseff, bem como mais uma etapa no desmonte da educação no Brasil. 


"O mesmo governo que congelou investimentos na educação e na saúde por 20 anos agora tenta justificar o fim do Ciência Sem Fronteiras com a aplicação de recursos na educação básica", critica.

Lindbergh diz que se Fernanda ganhar vai conduzir a eleição de Rui e Lula em 2018.

A ex-prefeita de Uruçuca, Fernanda Silva (PT), lançou sua candidatura à presidência do Partido dos Trabalhadores na Bahia pelo movimento Optei, que reúne tendências como a Novo Rumo e a Esquerda Popular Socialista (EPS), da qual faz parte, na noite do último sábado (1º). O evento aconteceu na cidade do sul baiano com a presença do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que oficializou candidatura para o PT nacional, na última terça-feira (28), em Brasília. Farias disse que tem toda a disposição para viajar o país e construir a candidatura de Lula para presidente no próximo ano. Ele salientou também a tarefa da ex-prefeita, caso seja eleita. “Fernanda terá uma tarefa grande como presidenta do PT da Bahia, que vai ser conduzir as campanhas de Rui Costa e Luiz Inácio Lula da Silva aqui na Bahia [em 2018]”.

O ato de lançamento contou com a presença de deputados, vereadores e lideranças de movimentos sociais, populares e sindicais, como os parlamentares federais Valmir Assunção, Luiz Caetano, e o suplente de estadual Mário Jacó. Após o lançamento, a candidata à presidência do PT baiano disse que tem debatido o partido por onde passa. “Estamos visitando todas as regiões e dialogando com a militância. Defendemos o nome de Lindbergh desde o início dos debates, caso Lula não o fosse. O Optei foi o primeiro grupo nacional a se posicionar a favor da candidatura de Lindbergh à presidência do PT. Então, acredito que ele represente a renovação e é isso que buscamos aqui na Bahia”, explica Fernanda.


Em Uruçuca, o evento reuniu ainda o vereador de Ilhéus, Makrisi Angeli (PT), o dirigente nacional da EPS, Ivan Alex, a representante do DCE da Uesc, Tami Messias, o candidato a presidente do PT de Uruçuca, Gabriel, além de dirigentes nacionais do MST, como Evanildo Costa, militantes e representantes de diferentes agremiações. “É um passo fundamental para iniciarmos os debates para o pleito do ano que vem. É preciso ainda pensar e aprofundar as estratégias políticas para a militância aplicar em cada município da Bahia. Vamos enfrentar um dos piores momentos da história do país e precisamos ficar atentos a cada tentativa de golpe da direita”, completa o deputado Valmir Assunção, um dos líderes da EPS na Bahia, ao lado do senador da República.