9.9.17

Duas coisas. (Por André Luis Rodrigues)


1) Palocci disse algumas verdades no meio de um monte de mentiras.

2) Como ex-petista, vou contar pra vocês quem é o Palocci.

Vamos lá.

1) Palocci não mentiu em tudo nos seus depoimentos. Por exemplo, é verdade que o PT tinha um projeto de longo prazo para fixar no poder e o Pré Sal era a grande fonte de sustentação desse projeto de poder. Explico: o Pré Sal é tão importante e vai gerar tanto dinheiro, que o Brasil poderia fazer investimentos nunca antes vistos por nós e em questão de 10 anos, seríamos uma potência econômica e teríamos uma situação social bastante estável. 

Tudo isso está suspenso nesse momento porque o Golpe de Estado deu, de mão beijada, a dinheirama do Pré Sal para as multinacionais e estamos perdendo uma grande oportunidade.

Onde Palocci mentiu? Quando disse que Lula chamou a ele, ao Gabrielli e a Dilma e disse que era para pegar dinheiro com as empresas para financiar a campanha da Dilma.
Por que isso é mentira?

Primeiro, porque a Dilma é teimosa e reta como uma mula e jamais aceitaria um jogo desses.
Segundo, porque Lula não é burro e coisas desse tipo jamais sairiam da boca dele. Se, eu disse SE, Lula realmente fosse dado a fazer rolo ele colocaria alguém para fazer isso em nome dele. Diretamente ele nunca faria. É inteligente demais para fazer uma cagada dessas.
Palocci fez um depoimento para "agradar" o MPF e Moro. Como corrupto confesso a ele só interessa escapar de uma longa pena e voltar aos seus negócios.

Ele nunca será capaz de provar o que disse, até porque ninguém consegue esconder 300 milhões assim tão facilmente.

Aliás, se a Lava Jato, Moro, PF e MPF quiserem realmente saber se esse dinheiro existe, é só consultar a base de dados do programa de propinas da Odebrecht e "caçar" o dinheiro. Não o fizeram e não o farão porque lá vão encontrar pessoas que a eles não interessa investigar, inclusive gente graúda do judiciário.

Palocci mentiu, sucumbiu à tortura psicológica e às tentações de uma vida livre e à ganância de voltar ao seu milionário negócio de lobby.

2) Quem é Palocci?

Bom, quando começou sua militância política na esquerda, Palocci era da LIBELU, corrente da esquerda chamada Liberdade e Luta.

Homem inteligente, articulado, de fala mansa e capaz de entender o jogo da política e seu xadrez diário, logo ganhou destaque em todos os espaços da política por onde passou.
Esperto e silencioso como Stálin, logo abandonou a LIBELU e ocupou lugares chave no PT e principalmente em Ribeirão Preto onde foi prefeito duas vezes e sempre acusado de se envolver em casos de corrupção, nunca provados, mas que sempre ficaram sob suspeita, inclusive dentro do PT. Participei de reuniões que discutiram a conduta do Palocci, mas àquela altura, ele já era poderoso dentro do PT e tinha amigos poderosos capazes de abafar suas mazelas.

Afável e agradável, Palocci também era qualificado e sabia como conversar com empresários e logo foi alçado à interlocutor com banqueiros, fazendeiros, empresários, etc. Sua tarefa era amansar as elites e conseguir diálogo entre essa elite e os tesoureiros do PT que óbvio iam pedir doações aos empresários. Coisa normal na nossa estrutura política. Todos os tesoureiros de todos partidos pedem dinheiro às empresas. É assim que vivem. Os partidos políticos aqui e em boa parte do mundo.

Com Lula, virou Ministro da Fazenda. Ele. Tinha muita interlocução com vários setores e era capaz de acalmar todas as partes e deixar o caminho livre para Lula fazer política.
Até aí, tb normal, não tinha nada errado e nenhuma corrupção.

Mas Palocci foi picado pelo mosquito do poder, e logo começou a frequentar círculos suspeitos em Brasília, onde fazia contatos "estranhos" ao PT.

Caiu em desgraça quando se enrolou com a falsificação da assinatura do caseiro de uma mansão de Brasília, o anônimo famoso chamado Francenildo que denunciou que ele frequentava a mansão que iam políticos não muito honestos e empresários menos honestos ainda.

Detalhe sórdido: a casa que Palocci frequentava era um inferninho de luxo, onde políticos e empresários iam lá se divertir com lindas mulheres à disposição, que lhes davam amor e prazer por um preço razoável comparado ao tamanho dos negócios que lá se faziam.

Se apaixonou por uma gueixa e se enrolou a ponto de não conseguir evitar frequentar a casa e acabou metido no escândalo de falsificação do caseiro, que o ferrou porque era amigo de um empresário de ônibus poderoso no Nordeste e armou uma cama de gato para Palocci.

Isolado, Palocci teve que sair do governo e fez um discurso, disponível no YouTube, onde começa falando que a coisa mais importante na vida dele era a família e por isso estava renunciando. Era a senha de despedida da "puta" e a volta aos braços da mulher.
Nós anos longe do governo, começou a vender "consultoria", isto é, ensinar o caminho das pedras dentro da máquina governamental, que não passava pelas mãos de petistas, mas pelas mãos de funcionários de carreira.

Palocci fez fortuna.

Continuou com espaço dentro do PT, que à essa altura estava refém dos contatos dele e de sua influência e trânsito.

Palocci voltou como Chefe da Casa Civil de Dilma e se enrolou de novo, dessa vez com corrupção explícita.

Dilma, que não tolerava essas coisas e não tinha estômago o mandou passear.

Pela segunda vez, Palocci caiu em desgraça e o PT de novo, não fez muita força em defendê-lo.

Palocci ficou magoado e silencioso demais.

Ele seguiu com seus negócios e ganhou ainda mais dinheiro, pois agora tinha a experiência da Casa Civil e conhecia todos os caminhos por dentro da máquina política de Brasília.

Quando a Lava Jato o pegou, o PT silenciou de vez, pois à essa altura já se sabia dos seus rolos.

O PT estava refém de Palocci. Não podia chutar o balde porque um corrupto é capaz de qq coisa. Mas o PT não fez força para defendê-lo outra vez e Palocci ficou muito puto, segundo meus amigos dentro do PT.

Palocci, agora com instinto de vingança e louco para escapar da prisão ensaiou a delação premiada. A primeira versão da delação foi rechaçada por Moro, pois envolvia banqueiros e judiciário.

Moro foi claro que o foco da delação era delimitado à Petrobras e ao PT.

Palocci mandou recados ao PT. Em abril, Lula declara publicamente confiar em Palocci.

Não resolveu, pois a pressão de Moro e do MPF era enorme com a ameaça de uma condenação longa. Palocci se desespera pela segunda vez na vida. Lembremos que a primeira vez foi para salvar seu casamento.

Resolveu delatar e dizer exatamente o que Moro e o MPF queriam. E disse o que disse essa semana, num jogo muito bem combinado com o fim da Caravana de Lula pelo NE e num momento em que todas as pesquisas internas de todos os cantos indicavam que Lula levaria 2018 de lavada.

Essa é a breve história de Palocci. Um cara de esquerda que foi se movimentando à direita e se corrompeu.

Palocci não é um traidor.

É um corrupto e mentiroso que só quer escapar da cadeia. E disse e dirá qq coisa que lhe peçam.

Ele nunca conseguirá provar o que disse porque o que declarou não é verdadeiro e foi tudo na base do "Lula me disse".

No momento que vivemos, temos de raciocinar muito e tentar enxergar em meio à névoa o que é realmente verdade e o que é fantasia.

Infelizmente, Palocci agora é só mais um ladrão tentando escapar.

Bom fim de semana.

Por André Luís Rodrigues.

Nenhum comentário: