5.7.17

Evento promovido pelo Sebrae e SDE promove novos negócios no setor eólico.


O 2º Café com Energia, evento promovido pelo Sebrae em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), apresentou nesta terça-feira (04/07) o cenário do Setor Eólico na Bahia através dos investimentos, perspectivas e desdobramentos para a cadeia de suprimentos.

Segundo Paulo Guimarães, superintendente de Promoção do Investimento da SDE, o evento é voltado para as grandes âncoras do setor de energia que tem a possibilidade de apresentar para as pequenas e médias empresas instaladas na Bahia as possibilidades de contratações de serviços, coletas especiais e expectativas de negócios para o adensamento das cadeias produtivas.

"É importante que empresas como a Gamesa e Torrebras, que estão aqui hoje, se aproximem dos fornecedores de bens e serviços locais. Quando uma empresa dessa contrata fora do estado, além do prejuízo com custo logístico, existe também o acúmulo de crédito de ICMS pago fora do estado que não é pago aqui. A contratação local gera um efeito econômico gerando mais empregos nas empresas de serviços", afirma Guimarães.

Álvaro Carrascosa, CEO da Gamesa, elogiou a iniciativa do evento. "É muito importante porque temos uma carência muito grande e essa ligação com as pequenas e médias empresas é fundamental. Nós temos vários gargalos, várias dificuldades de desenvolver alguns negócios com empresas baianas, mas a gente vê espaço de crescimento na Bahia, fora que logisticamente e tributariamente é muito mais vantajoso fazer com que as empresas baianas participem mais", afirma.

A RIP - Serviços Industriais, instalada na Bahia há 30 anos e que atua na área de eletromecânica, isolamento, pintura e andaimes, esteve no evento pela primeira vez interessada em investir na área de energia eólica. "Há 1 ano compramos uma empresa de manutenção de ativos de energia e nosso interesse é entrar no campo de eólica. Queremos entender a necessidade dos parques eólicos para nos moldar em cima das demandas de serviços terceirizados dos parques. Estamos em fase de prospecção e esse evento para a gente é muito importante devido a aproximação com a s empresas", afirma Willians Gonçalves, gerente comercial da RIP.

Alerta
A exemplo do que já havia sido alertado na semana passada durante o 9º Fórum Nacional Eólico em Natal sobre a necessidade da realização de leilões de energia ainda este ano, foi novamente assunto de preocupação entre os empresários sobre o risco eminente do setor parar. "Nós temos hoje uma capacidade instalada muito superior a demanda. Se não tiver leilão este ano, toda cadeia eólica que foi instalada com muito trabalho pode se desfazer rapidamente. Só temos demanda nas nossas carteiras até janeiro e fevereiro, depois disso, o setor entra em colapso", diz Álvaro Carrascosa.

O CEO da Gamesa completa dizendo "entendemos que com a crise, a demanda diminuiu, mas alerto que um país como o Brasil com qualquer movimento positivo que venha ocorrer consequentemente vai faltar energia, sem falar que o compromisso nosso é substituir uma energia mais cara por uma mais barata e os políticos precisam estar atentos a esta demanda", finaliza.

Nenhum comentário: