3.6.17

Tá na internet: QUANDO A ÁGUA BATE NA BUNDA .

O desequilíbrio entre os poderes gerou um monstro que foi alimentado desde filhote por aqueles grupos que se dedicam diariamente a criminalizar a política. Sem diferenciar a boa da má prática pública, esses setores se compraziam enquanto era o PT e os petistas o grupo perseguido. Sem direito a defesa, nossa sigla vinha sendo bombardeada desde a Farsa do Mensalão de 2012. Embora os ataques tenham causado dano, o Partido dos Trabalhadores resiste e acena com o retorno do seu protagonismo político, muita disso facilitado pela inaptidão da esquerda radical e dos autonomistas em conseguirem formular um projeto nacional não infantil. 

Por outro lado, os golpistas dos mais variados matizes, sejam eles empresários, classe média, políticos neoliberais e poder econômico foram se dando conta de que aquele monstro que tentou devorar o legado e a capacidade petista acabou por romper as correntes que o mantinha sob um certo controle. Agora, esse monstro usa suas garras para atacar a todos, sem distinção. 

Mas que monstro é esse? 

É o monstro do Estado Policial, o monstro do autoritarismo, o monstro Judiciário que não obedece as próprias leis que estaria obrigado a seguir. 

A operação Lava-Jato, a Polícia Política Federal e o Ministério Público Federal tomaram gosto pelo Poder absoluto e, hoje, se julgam no direito divino e ditar os rumos do país. 

Nesse momento, a água bateu nas bundas daqueles que se achavam blindados e vacinados contra este monstro ditatorial. 

Aqueles que antes defendiam as práticas dos agentes políticos federais, agora desejam toneladas de críticas e repúdios contra os justiceiros. Tais críticas estão, na maioria das vezes, corretíssimas, pena que vieram tarde demais. Nesse período de cegueira golpista, perdemos praticamente duas décadas de desenvolvimento econômico, social e cultural. Os golpistas e suas fobias contra o PT conseguiram destruir tudo aquilo que nossa sociedade conseguiu, às duras penas, conquistar durante a redemocratização do país. 

Este fenômeno do emburrecimento coletivo não é novo. Ele realmente ocorre, não só aqui no Brasil, mas em outras partes do mundo. É uma espécie de refluxo de inteligência que, de alguma maneira, impede o ser humano de alcançar o patamar superior de raciocínio. 

Hoje, as manchetes dos grandes jornais parecem ser um replay do final dos anos 70 e início dos anos 80, quando o Brasil sonhava com liberdade e direitos. 

Nunca foi tão atual dizer... 

... A luta continua! 

Nenhum comentário: