23.4.15

Diogo Portugal faz ataque e não humor.

Eu faço parte de um grupo de discussão no Whatssap, alguém tem que criar um vírus para acabar com isso, dentre tantos outros que vão de notícias a amizades. E na tarde de hoje, 23, eu fiquei sabendo que uma pessoa de nome Diogo Portugal, apresentado como humorista, teria feito agressões a presidente Dilma Roussef em uma de suas apresentações. Confesso que fiquei com raiva do rapaz pelas informações que me foram passadas. Eu então pedi que alguém me enviasse o vídeo para que, assim, pudesse tirar minhas conclusões.
Foi aí que a minha querida amiga Maria Luiza, uma das mais aguerridas militantes virtuais que já conheci, providenciou uma cópia e me mandou. De imediato o assisti o que vi, e não difere em nada do que estes jovens de classe média intitularam chamar, em Inglês, de Stand Up. Que é a definição de alguém que um dia pensou ser engraçada e se tornou um otário. Na acepção da palavra! Neste baixo nível está acompanhado dele, Danilo Gentille, e a turma do Pânico, que perdeu a graça já faz um bom tempo.
No vídeo se vê claramente a forma desrespeitosa que o senhor Portugal se refere aqueles que ele ridiculariza. Usa termos agressivos, indecentes para qualquer pessoa. E olha que não sou um daqueles que se ruboriza com qualquer palavra. Mas fiquei imaginando se um de nós citássemos metade das palavras que ele usou para agredir a presidente da república. Na minha infância, para se ter a ideia da importância de se respeitar a mãe do outro, bastava que alguém fizesse dois riscos no chão, e se alguém passasse o pé por cima do do outro, era o bastante para levar um soco na cara. Hoje não, qualquer analfabeto humorístico, para fazer sucesso entre os seus iguais. Sim Iguais, pois são pessoas desprovidas de inteligência suficiente para discernir o que é uma agressão a uma mulher, ao chama-la de sapatão, sem que ele tenha mostrado uma só prova, simplesmente para que o riso da plateia possa ecoar mais facilmente. Está é a tática dos “novos humoristas” brasileiros.
Aí eu fiquei imaginando o Bemvindo Sequeira, um dos melhores humoristas que o Brasil tem, fazendo as suas apresentações. E busquei informações com amigos que já foram aos seus espetáculos, e nenhum deles disse já ter ouvido qualquer agressão a autoridade que ele discorde do campo político. Não satisfeito, fui ver vídeos de Castinho, Chico Anísio, Tom Cavalcante e boa parte da turma da Escolinha do Professor Raimundo e da Praça é Nossa. Fiquei imaginando o que estamos perdendo ao passar dos anos. E também, a merda que está sendo produzida por gente como o Diogo Portugal. Ele deve achara que é texto, que tem um redator para produzir aquele lixo. Eu digo que a cigana que o convenceu de que o que fala em seus espetáculos (espetáculos?), roubou o seu dinheiro. Não vou aqui chama-lo de filho da puta, pois a mãe do mesmo não merece isto, já que nem a conheço. Não vou falar dos seus trejeitos, para não ser classificado de homofóbico, pois estaria enveredando pelo caminho tortuoso que ele usou para agredir a Dilma. Muito menos vou falar da precariedade do cenário usado por ele, pois posso ser agredido de não entender o “novo humorismo” brasileiro. Na verdade, o senhor Portugal já valeu mais palavras aqui, do que ele mereceria pelo péssimo trabalho que produz. Se é que aquilo lá pode ser considerado alguma profissão.

Dimas Roque

22.4.15

Audiência pública do MPEduc em Caravelas/BA será realizada nesta quarta, 22.

O evento, realizado pelo MPF em Teixeira de Freitas/BA, ocorrerá no dia 22 de abril, às 14h, no auditório da Câmara Municipal de Vereadores do município de Caravelas. Para participar, é necessário se inscrever pelo e-mail prba-prmtf@mpf.mp.br.
O Ministério Público Federal (MPF) em Teixeira de Freitas realizará audiência pública para discutir os baixos índices de desenvolvimento da educação básica (Ideb) nas escolas públicas de Caravelas/BA. O evento ocorrerá no dia 22 de abril, às 14h, no auditório da Câmara Municipal de Vereadores do município, localizada na Praça Teófilo Otoni, 182, no Centro. A audiência integra o Projeto Ministério Público pela Educação (MPEduc) e, para participar, os interessados deverão encaminhar inscrição para o e-mail prba-prmtf@mpf.mp.br, pois as vagas serão limitadas à capacidade do auditório.
A pauta das audiências objetiva ouvir os órgãos da administração pública municipal e estadual, a comunidade e as instituições locais sobre as demandas na área da educação, de modo a orientar a atuação do MPF e incentivar uma efetiva participação cidadã no tema. Outro objetivo é a identificação dos motivos do baixo Ideb nas escolas públicas dos municípios. Em Caravelas, o Ideb ficou em 3,9 para o 5º ano e em 3,1 para o 9º ano. A meta nacional é de 6 pontos.

Projeto – o MPEduc é um projeto desenvolvido para ser executado em parceria entre o MPF e o Ministério Público dos Estados. Seu principal objetivo é o de estabelecer o direito à educação básica de qualidade para os brasileiros, contando com o envolvimento dos membros do Ministério Público, dos gestores públicos e dos cidadãos. Para isso, são realizadas coletas de informações, audiências públicas, análise de questionários e visitas às instituições com o intuito de obter um diagnóstico das condições das escolas públicas de ensino básico.

20.4.15

Antes do Moro.

Os mouros, povo Africano, de onde hoje é o Marrocos, precisaram de menos de uma década para dominar a região Ibérica. Eles permaneceram lá controlando durante quase oito séculos. Contam que a invasão teria sido incentivada pelo mesmo povo que habitava a região, os Visigodos, como eram chamados, tinham origem germânica, mas haviam se convertido ao cristianismo e viviam envolvidos em disputas internas. Não sabiam eles que os Mouros cometeriam todo o tipo de arbitrariedade possível. É da natureza do ditador.
Não satisfeitos e sentindo-se intocáveis, eles partiram para dominar o resto da Europa. Foi a primeira derrota. Pois não conseguiram seu intento. Há também a informação de que aquele povo converteu-se ao islamismo após o contato com árabes vindos do Oriente Médio. E ai espalharam os mandamentos do profeta Maomé. Os Cristãos não ficaram nada satisfeitos com esse avanço religioso e cresceu o sentimento antimuçulmano, nos territórios ocupados. Na Espanha, os mouros tiveram que enfrentar El Cid, um herói na luta pela libertação de seu povo. É que sempre que um ditador, neste caso os mouros, surge em algum lugar, aparece sempre alguém para o enfrentar e dar um basta em seus crimes. Lembram o caso de Davi e Golias? Quando todo um exército se dobrava de medo, diante do gigante, um soldado franzino se apresentou para o enfrentar. E o resultado todos nós já sabemos. E como é histórico, toda ditadura tem um dia o seu fim. No caso dos mouros, ela aconteceu no ano de 1492.
No Brasil o Congresso Nacional fez o papel dos Ibéricos, e foram dando, através de emendas constitucionais, poderes ilimitados a cada ano a justiça. Hoje temos promotores e juízes em cidades e que não receberam um só voto na urna. A toda hora chamam prefeitos e secretários como se seus gabinetes fossem a antessala do mandatário das prefeituras. Dizem, “tem que construir aquilo ali. Tem que parar tal obra. Calçar a Rua. Comprar remédios que faltam na farmácia básica. E nem estão preocupados se o orçamento suporta. A todo momento é sugerido um TAC – Termo de Ajuste de Conduta, ou “entraremos com um processo de improbidade administrativa”. Como se a chantagem estivesse na literatura forense como algo legal.
Criado o “Bicho-Papão”, agora temos o Moro, juiz de primeira instância que, percebendo a fragilidade do sistema jurídico, anda dando golpes de canetas direcionados a um só Partido. Mas isto acontece por dois fatores: os acusados e apresentados à execração pública, são Petistas. E se até na alta corte do país, o Supremo Tribunal Federal, a injustiça foi praticada contra um réu, Zé Dirceu, que não tinha contra ele uma única prova do delito ao qual estava sendo julgado, (ver a fala da ministra Rosa Weber, “não existem provas contra o réu, mas a literatura me permite condenar”). O que esperar do “Golias” diante de uma sociedade dividida? De um lado, aqueles que se acovardam e se escondem com medo do justiceiro. Do outro, os que o aplaudem! Estes, mais por sempre estarem juntos daqueles que cometem crimes. Sonegadores de impostos é um bom exemplo deste tipo de gente. São como aqueles que no dia do julgamento de Cristo, diante do juiz, preferiram o criminoso Barrabás, e condenaram a Jesus. Naqueles dias, como hoje, não houve, nem está havendo um julgamento justo. Vale a prisão espetaculosa, o escárnio público. Como se não bastasse o enclausuramento, o Moro açoita com o seu chicote midiático, humilha.
Antes do Moro a justiça já era cobrada por seus atos distantes da realidade do povo brasileiro. Quem se lembra do “no Brasil só é preso ladrão de galinha?”. Isto definia a forma injusta como eram trancafiados pobres enquanto os ricos viviam praticando seus crimes e nada lhes acontecia. Com a aparição do “justo”, que veio como um Durango Kid, a colocar atrás das grandes os criminosos que antes zombava da sociedade. Mas ao parcializar suas sentenças, antes mesmo do julgamento final, o herói começa a ser desnudado. Aparecem informações de que ele teria sido advogado de um Tucano envolvido em práticas ilícitas, e que teria sido testemunha de defesa da tal figura, que foi inocentado. Aparecem também a notícia de que no mesmo caso o, já conhecido, Alberto Youssef, era o delator e criminoso, e saíra livre de condenação. Velhos conhecidos, Youssef e Moro, passearam pelo PSDB. Falando nisso, sua esposa é advogada do atual vice-governador do Paraná, que também é tucano. Enrolado neste carretel, o Moro, vai paralisando o país até que surjam mais alguma informação de que o gigante caiu diante do Davi (a notícia que falta do Moro e o tucanato).

Dimas Roque.

19.4.15

Em nome de quem?

Se é verdade o que circula pelas redes sociais na internet, nós estamos diante do maior crime político, depois do golpe militar perpetrado em 1964. E que fez um grande mal ao país, com a morte de várias lideranças nos porões da ditadura. Dizem que o Juiz Sérgio Moro estaria vazando seletivamente as denúncias que envolvem nomes de pessoas ligadas ao Partido dos Trabalhadores. Vou dizendo que não acredito em tamanha acusação. Mesmo que afirmem que ele estaria acompanhado de delegados da polícia federal que postaram, durante a última campanha eleitoral, críticas a Presidenta eleita Dilma Roussef. O que foge totalmente as funções a qual prestaram concurso público.
Se verdade for, devemos pergunta, em nome de quem, essa turma estaria trabalhando? A quem eles estariam servindo, e quais os seus objetivos? Já que, há informações de que vários políticos da oposição também foram acusados de estarem envolvidos na tal da Lava jato.
O Moro, de paladino da justiça, digo novamente, se verdade as acusações, passaria a criminoso. Pois estaria sendo parcial em suas decisões. Que até agora são espetaculosas, para a grande mídia ter pauta. Invariavelmente, suas decisões acontecem sempre que há fatos envolvendo opositores ao Partido dos Trabalhadores. Criam uma nuvem e encobrem o noticiário.
Cansados de apanhar, os militantes Petistas na semana passada, criam termos no Twitter para chamar a atenção de todos. Um dos mais comentados foi #MoroPorqueSoPT ? Em uma clara referência a parcialidade que vem sendo conduzido o processo.
Antônio Anastasia, ex-governador de Minas Gerais foi citado, e está livre. Aécio teria sido denunciado, mas nunca foi indiciado. Eduardo Cunha, atual presidente da Câmara Federal, faz o que quer contra o governo Dilma, e estaria envolvido. Renan Calheiros, presidente do senado federal, teria sido denunciado, mas não foi molestado por Moro. A lista ainda envolveria, 22 deputados federais e 12 senadores; há ainda 12 ex-deputados e uma ex-governadora. Mas porque o juiz só caça os Petistas? Se documentos provariam que até, Alckmin, Serra e FHC teriam recebido milhões do mesmo esquema.
Sem que tenha obtido um único voto nas urnas, Moro vem conduzindo o país a golpes de canetas. Enquanto os parlamentares Petistas que não foram envolvidos nas acusações, ficam calados, inertes. Veem seus companheiros apanharem nas tribunas e na imprensa. E enquanto ficam assistindo a tamanha sanha de um juiz e de parte da polícia federal, que me parece estar sem comando, o Partido dos Trabalhadores corre o risco de ser criminalizado, sem antes mesmo haver qualquer julgamento.

O silêncio dessa turma, está servindo de combustível para os detratores. Vez ou outra, lemos ou vemos na internet, que um solitário parlamentar Petista saiu em defesa da agremiação. Mas é pouco para o que se espera de cada um dos seus militantes.
Dimas Roque.

É hora de agir!

Dias atrás uma imagem me veio à cabeça, a do lutador Sergipano Maguila. Ela ficou bastante conhecido nos anos 80. Era a sensação nos ringues do Brasil. Todos os que se aventuravam a enfrenta-lo tinham o mesmo resultado, a DERROTA. Também me veio a voz marcante de Luciano do Vale, locutor que abraçou o “esporte” e o fez conhecido da grande maioria dos Brasileiros.
No ringue Maguila era invencível para todos os que o acompanhavam, nas arenas de lutas, ou pela Televisão. Até que um dia, alguém teve a ideia de marcar uma luta com Evander Holyfield. O empresário deve ter pensado no dinheiro, a televisão também. Os organizadores da luta, viram naquele combate a oportunidade de arrecadar mais para seus bolsos. E me parece que só o Maguila queria mesmo era se divertir.
Já nos primeiros minutos daquela luta, todos nós percebemos que Maguila estava bem. Batia, e revidava em contra golpes as ações do seu opositor. No segundo round, o nosso campeão levou um soco e caiu impotente, estrebuchando. Aquela cena foi de doer o coração para quem estava assistindo e não podia fazer nada. O sentimento foi de humilhação diante de todos ao ver o nosso herói estirado, sem conseguir se levantar e partir novamente para a luta.
Pois é assim o que estamos sentindo atualmente com aqueles que comandam o Partido dos Trabalhadores. Depois de 30 anos de luta, vimos alguns de nossas lideranças envolvidas em escândalos. Alguns deles sem que haja uma só prova, estão sendo presos e humilhados por um juiz de primeira instância. Que sem que tenha havido o julgamento, prende, humilha publicamente através de imagens das TVs, que são avisadas com antecedência, onde e quando vão ocorrer. Fazendo parte de um enredo de mobilização contra o Partido dos Trabalhadores.
Paralisados, presidente e executiva nacional, parece o Maguila estendido no tablado do ringue. Sem forças e envergonhados. Enquanto a militância se desdobra na defesa de que o julgamento, se é que vai ter um, seja dentro da legalidade e não um picadeiro. Esta turma é a reserva moral do maior Partido Político do Brasil.
Ouvindo um amigo, ele me disse uma frase que define exatamente o que estão sentindo esses militantes: se um Partido que é detentor do mais alto cargo da nação, não parte para o embate duro em defesa do que acredita, que é o de estar sendo vítima de um juiz de primeira instância. Que tem sua mulher envolvida com seus maiores opositores, e prende, sem apresentar prova pública só aqueles a quem ele, parece, discordar das posições políticas. Se calado continuar o Partido, o melhor que faz é entregar de vez o comando da republica e se calar de vez.
Porque, não podemos ser o Maguila derrotado e sem forças, enquanto a plateia olha incapaz de poder fazer algo a mais para o defender. Nós precisamos é que a Direção e suas duas maiores lideranças, Lula e Dilma, falem. Cobrem que o processo seja aberto, e que parem de vazar seletivamente, o que é denunciado contra seus filiados. Nós precisamos de ação.
O silêncio dessas lideranças, em outros casos, deu força para que BANDIDOS pudessem abrir a boca e se passarem por paladinos da moral pública. É hora de agir!
Dimas Roque.