26.9.14

Bahia fará transplante de coração, pulmão e terá Banco de Multitecidos.

A Bahia realiza transplantes de osso, córnea, medula óssea, e órgãos como fígado e rim. Em breve, os pacientes que precisam de transplante cardíaco também não vão precisar sair do estado. O Ministério da Saúde credenciou o Hospital Ana Nery (HAN), no bairro da Caixa D’Água, em Salvador, para iniciar o procedimento. A unidade de saúde está em fase de estruturação e treinamento dos profissionais, além de aguardar a autorização para realizar transplante de pulmão.

No último dia 22 de agosto, o Hospital Edgard Santos (Hupes) promoveu o primeiro transplante de pele da Bahia. Com mais de 80% do corpo atingido por queimaduras de 2º e 3º graus, um garoto de 11 anos recebeu o aloenxerto, que é o enxerto com pele oriunda de doação de órgãos e tecidos.

Para viabilizar mais procedimentos como este na Bahia, sem a necessidade de recorrer a outros estados, a Secretaria da Saúde (Sesab) pretende implantar um Banco de Multitecidos (pele, osso e válvulas cardíacas), que será financiado com recursos do Ministério da Saúde. “O banco está em fase de estudo. A gente está tratando do projeto arquitetônico e definindo o local onde será instalado”, explica o coordenador estadual do Sistema de Transplantes, Eraldo Moura.

Começa hoje a Festa do Feijão em Senador Rui Palmeira.

O município de Senador Rui Palmeira, no alto sertão de Alagoas, realiza, hoje e amanhã, a Festa do Feijão. O evento já tradição no município e atrai muitos turistas para a cidade dos estados da Bahia Pernambuco e Sergipe, que fazem fronteira através do Rio São Francisco.
Além de diversão, a festa gera, durante os dois dias, emprego e renda para o município, e aquece a economia local, além de animar a população com shows de bandas locais e nacionais.
A festa é realizada pela prefeitura municipal, e conta com o apoio cultural da Chesf, e do Bradesco. Este é um bom momento para, quem gosta de forró e vaquejada, curtir uma boa música com os amigos.

Programação
Sexta-feira (26)
Escolha da Rainha do Feijão
Participação DJ Petty.

Sábado (27)
22h – Shows musicais
Léo Magalhães
Mano Walter
Luan e Forró Estilizado
Canibal.

24.9.14

Pessimildo.

22.9.14

UMA EX- SERINGUEIRA TROCOU TUDO PELA AVENIDA PAULISTA.

Pelos rastros que está deixando nesta campanha eleitoral não se pode mais  reconhecer  aquela mulher identificada com as causas sociais, compromissada com ideais generosos que a levaram para a militância política. Onde estaria agora a  seringueira, companheira de lutas  do líder  dos povos da selva , Chico Mendes? A filha  dele, externa agora, publicamente, a sua decepção diante do que faz a reinventada Marina .  Os rastros que a ex-seringueira propositalmente desmemoriada vai deixando nessa tortuosa jornada da negação de si mesma ,  permitem identificar a trajetória  feita até a Avenida  Paulista.
A impensável jornada levou Marina  com a desenvoltura de  uma parceira confiável, a transitar entre os banqueiros e especuladores do coração financeiro de São Paulo. Tanto põem fé  absoluta na ex- seringueira agora  vestindo Prada, que fazem  subir ou descer os índices da Bolsa de  Valores de acordo com as pesquisas eleitorais. Os índices sobem quando Marina  ganha pontos , e caem quando ela perde. O que aconteceu de tão atraente para a banqueirada  nessa metamorfose, não pode ser explicado apenas por um programa de governo apresentado pela candidata,  onde ela promete rever a legislação trabalhista , e,  o mais importante para os agiotas do cassino financeiro globalizado: o presente por eles tanto esperado da plena autonomia do Banco Central. Há motivo ainda mais forte a justificar o entusiasmo dos que manipulam o dinheiro e querem ter mais poder ainda:  seria um compromisso    assumido por Marina, com o aval da sua amiga do peito, sócia do   Banco Itaú,  de entregar aos banqueiros e especuladores,  o comando absoluto da política econômica  e financeira do país.
As raposas, antecipadamente, festejam a entrada no galinheiro.
Luiz Eduardo Costa - Jornalista.

Cultura Bahia: Cadastramento de eleitores e candidatos pode ser feito pela internet.

Chegou o momento da comunidade cultural escolher os representantes que irão contribuir para as políticas de cultura do Estado da Bahia. Estão abertas três eleições para as seguintes entidades: os Colegiados Setoriais de Cultura, os Colegiados Setoriais das Artes e o Conselho Estadual de Cultura da Bahia (CEC-BA). O pleito ocorre via internet e é realizado pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). Para participar basta acessar a plataforma online no site da SecultBA.
Os processos eleitorais estão previstos na Lei Orgânica da Cultura da Bahia (Lei 12.365/11), que prevê que a indicação dos conselheiros e membros dos Colegiados Setoriais de Cultura e das Artes da Bahia seja feita por meio de eleição da sociedade civil.
COLEGIADOS SETORIAIS DE CULTURA – Representarão os setores de Arquivo e Memória, Bibliotecas, Design, Livro e Leitura, Patrimônio Cultural, Museus, Culturas Populares, Culturas Indígenas, Culturas Afrobrasileiras e Moda. Cada Colegiado será individualmente integrado por nove membros, sendo três do poder público, indicados pelo secretário estadual de Cultura, e seis da sociedade civil, eleitos através deste processo participativo e democrático. Todos terão seus devidos suplentes. O cadastramento pode ser feito até o dia 22 de setembro de 2014 e o período de votação é de 03 de outubro até o dia 03 de novembro.
COLEGIADOS SETORIAIS DAS ARTES – Integrados à Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), vinculada à SecultBA, os Colegiados compõem cada uma das linguagens artísticas que integram o escopo da Fundação – Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Dança, Literatura, Música e Teatro. A realização do processo eleitoral é do segundo mandato dos Colegiados, que serão novamente compostos por membros do poder público e da sociedade civil, eleitos através de processo participativo.
A primeira gestão, do biênio 2013-2014, foi construída igualmente a partir de um processo articulado com a classe artística, em 2012.  O período de cadastramento da eleição vai até o dia 27 de setembro. O pleito será realizado entre os dias 16 de outubro a 4 de novembro de 2014.
CONSELHO ESTADUAL DE CULTURA (CEC) – Órgão colegiado da SecultBA, de caráter normativo consultivo e deliberativo, o CEC terá na sua composição 60 conselheiros (30 titulares e 30 suplentes), sendo dois terços de membros da sociedade civil e um terço de conselheiros indicados pelo poder público. Nesta eleição, serão eleitos 20 conselheiros (10 titulares e 10 suplentes) para representar os setores culturais o os processos do fazer cultural da sociedade civil. Os outros 20 conselheiros da sociedade civil (10 titulares e 10 suplentes), já eleitos na V Conferência Estadual de Cultura, realizada em outubro de 2013, em Camaçari, serão representantes de Territórios de Identidade Cultural. Por fim, os outros 20 conselheiros (10 titulares e 10 suplentes) serão indicados pelo poder público como representantes dos seus respectivos setores. O período de cadastramento da eleição vai até do dia 17 de outubro. Após a validação dos cadastros, a votação ocorrerá entre os dias 03 a 23 de novembro.
Serviço:
O que: Eleições da Cultura
Quem pode participar: Agentes culturais, artistas e representantes de setores culturais
Onde participar: As plataformas virtuais de votação estão disponíveis no portal da SecultBA.
Período de cadastramentos:
Colegiados Setoriais de Cultura: Até o dia 22/09
Colegiados Setoriais das Artes: Até o dia 27/09

Lula vai precisar se reinventar após as eleições.

Nascido como alternativa aos partidos tradicionais, o PT – Partido dos Trabalhadores, mostra que precisa voltar a beber na fonte dos escritos e de seus idealizadores, e estes precisam se reinventar, podendo também, relerem o que escreveram, ou ouvirem seus próprios discursos do passado, para que possam colocar em prática, novamente, o que pensaram um dia como a opção política de esquerda para o Brasil.
Isto só acontecerá, se as suas lideranças ouvirem as bases e pegarem as estradas empoleiradas do Brasil, assim como fizeram no passado.
Eu tenho na memória a primeira vez que me encontrei com o maior líder sindical da década de 80, e que veio a se tornar mais tarde, presidente do Brasil. Era uma manhã e o convidado para o 1º de Maio, daquele ano, chegou para uma entrevista na rádio cultura de Paulo Afonso na Bahia. Veio de São Paulo em um Fiat 147. Lembro da cor, Bege. Estava acompanhado de um sujeito alto. Me pareceu ser um segurança. Após ter conversado ao vivo com Antônio José Diniz, proprietário da emissora e que teve a coragem de colocar para falar em seus microfones a pessoa mais visada pela ditadura moribunda. Acompanhamos, a pé, Luiz Inácio da Silva até o local onde estava estacionado um caminhão que serviu de palanque. A Plateia não contava com 100 pessoas. Ele retornou muitas outras vezes, já como o “Lula” oficialmente em seu registro.
Há também a história, contadas por sindicalistas e petistas de Sobradinho na Bahia, que um dia o prefeito da cidade, que não morria de amores pelo Partido e por aquele barbudo e suas caravanas, soube que Lula desceria de avião para fazer um comício. Como Lula fazia em mais de uma cidade comícios, encontros com lideranças sindicais e religiosas, se atrasou e anoiteceu. Pois, o prefeito ao saber disso, mandou apagar as luzes do pequeno aeroporto, impossibilitando a aterrisagem. O avião ficou fazendo voltas, e alguém teve a ideia de colocar os carros ao lado da pista com os faróis ligados, iluminando-a. O piloto conseguiu pousar e a história correu o sertão mostrando que um líder, faz de tudo para estar aonde o seu povo está´.
Ao conseguir eleger prefeitos, governadores e o presidente da república, muitos dos militantes que “comeram poeira” ocuparam cargos públicos. Isto por si só não constitui um crime ou erro mortal. Mas vem contribuindo para afastar a militância que surgiu nas lutas pelo fim da ditadura, pelas diretas já, por tantas e tantas lutas, da convivência com o povo. Está chegando a hora da reinvenção do Partido dos Trabalhadores, para que o “poder” não destrua o sonho de um partido unido em defesa das causas populares. Após as eleições de outubro o Lula e o PT vão precisar beber, e não é cachaça, mesmo sendo boa para quem toma, na fonte que gerou o Partido. É bonito ver ele receber títulos de Dr. pelo mundo a fora. Mas isto só serve para virar notícia. Quem vota, mora na zona rural do interior do sertão nordestino, no vale do Jequitinhonha em Minas Gerais, nas favelas das capitais e trabalham nas fabricas que deram origem ao Partido.
O frio da sala dos palácios é muito bom, mas não está ajudando a reverter o comodismo em votos. Lula e o PT precisam suar novamente. Precisam sentir o cheiro que exala do povo, o nosso cheiro. Ou de outra forma, vamos nos tornar de vez iguais aos partidos que são chamados de “governo”. Seja lá quem estiver no poder. Não pra isto que doamos parte de nossas vidas. Ainda há esperança. Retornemos ao passado para avançarmos ao futuro com dignidade.

Dimas Roque.