5.8.14

Univasf abre 475 vagas para cursos gratuitos de idiomas.

A Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), por meio da Pró-Reitoria de Extensão (Proex), está com inscrições abertas, a partir de hoje (4), para o Programa de Formação em Idioma Estrangeiro 2014.2. Há 475 vagas abertas para cursos de Inglês, Francês, Alemão, Italiano e Espanhol, que serão ministrados nos campi Petrolina Sede, em Petrolina (PE), Juazeiro e Senhor do Bonfim (BA). Os cursos são gratuitos e abertos às comunidades interna e externa.
Podem participar do processo seletivo estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação em Instituições de Ensino Superior (IES) e profissionais já graduados por IES reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC). Os interessados devem efetuar a inscrição on-line até 18 de agosto, pelo site de Processos Seletivos (PS) e anexar, em formato PDF, comprovante de matrícula atualizado ou cópia do diploma ou certificado de conclusão de graduação ou pós-graduação. A seleção se dará pela ordem de inscrição, conforme estabelece o Edital 8/2014.
Os cursos têm carga horária de 60 horas, com quatro horas semanais. O resultado final do processo seletivo está previsto para ser divulgado no dia 25 de agosto. A matrícula deverá ser efetuada, presencialmente, no período de 26 de agosto a 8 de setembro, na sala da Diretoria de Extensão (Direx), localizada no 1º andar do prédio administrativo da Reitoria, para os candidatos aos cursos de Petrolina e Juazeiro; e no Colegiado de Ciências da Natureza, em Senhor do Bonfim, para os candidatos aos cursos a serem realizados naquele campus. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone da Direx (87) 2101-6792 ou através do e-mail cursos.proex@univasf.edu.br.
Cronograma:
Inscrições: até 18 de agosto
Resultado final: 25 de agosto.
Matrícula: de 26 de agosto a 8 de setembro.
Início das aulas: a partir de 15 de setembro.

Já não temos o futebol que encantou o mundo.

Há aqueles que reclamam que nossos jovens jogadores estão sendo transferidos para o futebol europeu. Mas eu acho um erro isto. Não vejo que o problema do nosso futebol não mais encantar o mundo esteja na mudança de clube ou endereço dos “meninos”. Para muitos destes, a transferência é a oportunidade de mudar o padrão de vida, dele e da família. E quem de nós não gostaria de ver um filho ou irmão bem de vida?
Para mim, o problema é de qualidade técnica e moral de muitos deles. A técnica porque para o futebol europeu cada um desses se encaixa dentro do padrão dos times. São peças que se somam ao conjunto, e separadamente, ou ajuntadas em uma selação, não servem a nenhum objetivo. Eu quero falar de um “Monstro”, que foi consagrado nas vozes de alguns locutores. Que sabe-se lá que amizade têm com os empresários do dito cujo. Davi Luiz, que dizem ter custado os olhos da cara ao clube que defende. Durante os jogos em que esteve no elenco, de cada 10 bolas que chegavam a ele, oito eram passava ao goleiro Júlio Cesar. Era como se dissesse, “se vira ai. Isto não me pertence”. E o pobre do goleiro tinha que, invariavelmente, rifar a bola.
E assim eram 9 dos 11 titulares que estavam em campo a cada partida da seleção brasileira. Eles não sabiam o que fazer com a bola. Talvez em seus clubes eles cumpram um papel. Na seleção eles não tinham espaço nem para gandula. Retiro disto o Júlio Cesar e o Neymar. Este segundo dispensa apresentação e fez o seu trabalho corretamente. Valeu a convocação até ser alijado por um criminoso.

Terminada a Copa das Copas, o sério seria ter permanecido o Felipão, que precisa se reciclar, mas que tinha o apoio da maioria da população. Isto não aconteceu, como vimos. Entrou duas novas figuras. Na verdade um já manjada, o Dunga. A outra o Gilmar. Que segundo as notícias estão envolvidos com empresários de jogadores. Pelo que entendi, as convocações vão ser feitas através do critério empresarial e não futebolístico. E aí está a questão Moral, ou melhor, imoral do fim do futebol arte. Já para quem tem vergonha, os jogadores que atuam no Brasil deveriam ter, não aceitem as convocações, pois vão servir apenas para tapar buraco até a próxima convocação para a Copa de 2018. Vocês não estarão na lista que irá para a Russia.
Dimas Roque

Investimento na produção de coco e derivados gera empregos na Bahia.

Um projeto inovador, com investimento de R$ 200 milhões e tecnologia avançada que envolve desde a plantação do coco até a industrialização de seus derivados, incluindo o aproveitamento de subprodutos. E o melhor: criou 400 novos empregos na Bahia, com previsão de 1000 postos de trabalho até o ano que vem.
Em seu programa de rádio semanal ‘Conversa com o Governador’ Jaques Wagner fala da visita que fez na manhã desta segunda-feira (4) à Frysk Industrial, no município de Conde, no litoral norte do Estado, que inicia atividades na Bahia inovando na produção de coco e envase e comercialização da água do fruto sem o uso de conservantes e aditivos. O projeto conta com apoio do Governo do Estado e beneficia também aos pequenos agricultores da região que produzem coco.

“Esse projeto é extremamente inovador. A empresa vai produzir água de coco com um diferencial muito grande que vem potencializar aquilo que já é uma marca da Bahia. Essa fábrica é tecnologia super avançada, não usa nenhum tipo de conservante, é praticamente a água do coco envasada e vai diretamente para o mercado. Eu tive a oportunidade de visitar, são mais de 400 empregos entre a área industrial e a área agrícola. Eles estão melhorando muito as mudas de coco que estão trazendo para cá, com uma produtividade muito superior àquelas outras plantas que o nosso povo plantava originalmente, e eles pretendem usar 50% de produção agrícola própria, e os outros 50% eles estão comprando fora. Para se ter uma idéia, eles estão indo buscar em Rodelas, porque muita gente planta coco irrigado lá, para trazer para envasar em Conde”.