18.3.14

Terroristas fazem ameaças ao Governo da Bahia.

"Há dias o Governo da Bahia vem recebendo mensagens terroristas que afirmam que a PM vai fazer greve por conta de ausencia de dialogo com o Governo do Estado, vejam a verdade dos fatos: No último final de semana tomamos conhecimento, através das mídias sociais, da existência de discursos proclamados isoladamente por um ou outro que parecem se interessar pela desestabilização do bom momento que vivemos atualmente na Polícia Militar da Bahia. Essas pessoas se utilizam da magnífica possibilidade de se expressar livremente, proporcionada pelas mídias sociais, para afirmar palavras de ódio, insinuando posturas revoltosas a nossa tropa.
É preciso dizer que a PMBA está vivendo um momento ímpar, marcado pela relação de diálogo democrático com o Governo do Estado. Atualmente existe um grupo de trabalho (GT) composto pelas associações representativas dos policiais e bombeiros militares, pelo Comando e por secretarias e órgãos do governo, que conjuntamente apresentaram propostas e sugestões para promover a modernização administrativa através da reforma da Lei de Organização Básica e do Estatuto da PM. Em comum acordo entre todos os membros do GT ficou estabelecido o prazo de 10 de abril do corrente ano para a apresentação das medidas a serem encaminhadas à Assembleia Legislativa pelo governo.
Esse é um processo amplo, que visa corrigir distorções históricas, como já foi feito com o pagamento da GAP 4, compromisso firmado e honrado pelo Governo do Estado, assim como está assegurada a primeira parcela da GAP 5 em novembro deste ano, sendo a última parcela paga em abril de 2015. Além disso, o reajuste geral que for concedido ao funcionalismo público incidirá sobre os vencimentos dos policiais militares e ainda, agora em abril, o Prêmio por Desempenho Policial será pago a grande parte da corporação pelo cumprimento das metas do programa Pacto pela Vida. Todos esses incrementos salariais foram previstos anteriormente à criação do Grupo de Trabalho, motivo pelo qual não se pode dizer que estão sendo utilizados como “moeda de troca” com os policiais militares.
Não existe clima para radicalização. Pelo contrário, há clima para estudar, dialogar, projetar e analisar com muito cuidado, para não se perder o que já foi obtido, nem perpetuar situações e procedimentos que não interessam nem aos policiais militares nem aos demais integrantes da sociedade. O discurso e boato infundados é um contrassenso frente a esse momento de diálogo que agora foi estabelecido. A segurança da sociedade, missão primeira da nossa instituição, não pode ser ameaçada. Aqueles que, isoladamente, estão pregando a desestabilização da tropa estão na contramão do atual processo de modernização administrativa da PM, buscando vantagens individuais e não coletivas.
Ao tempo em que tranquiliza a sociedade, o Comando da PM recomenda de forma expressa a todos os integrantes da Polícia Militar da Bahia que confiem no processo, em andamento, de interlocução entre o Comando da Corporação, as entidades representativas e o Governo, para que a instituição possa dar o salto administrativo e organizacional que desejamos".

Nenhum comentário: