31.5.13

Militância Petista coloca hasteg #PSDBnuncamais como assunto mais comentado do dia.

No dia em que o PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira levou ao ar seu programa de TV, tendo como exposição o “candidato” Aécio Neves durante todo o seu tempo, a militância petistas nas redes sociais deram uma prova de que não vão estar para brincadeira na próxima eleição para presidente da republica. Horas antes do mineiro aparecer como estrela principal do filme, a hasteg #PSDBnuncamais começava a aparecer no Twitter. E quanto mais se aproximava da exibição, mais menções eram feitas.
Ao final do dia o assunto do programa teve aproximadamente 9.000 citações e mais da metade delas eram negativas ao partido. Os petistas jogaram água no chope dos tucanos.
Uma das coisas mais importantes, e que não deve passar despercebido nesta mobilização é hasteg foi acompanhada por militantes petistas e não retwitada por membros conhecidos nas redes sociais de outros partidos da base, salvo raríssima exceção que possa ter-me passado despercebido.

A internet mostra mais uma vez que a força da mobilização está nos atos mais simples.

Palhaço Pirulytho é destaque em Sergipe.

Canindé de São Francisco/SE - Edson Vieira, simplesmente adotou para si o nome artístico de "Palhaço Pirulythu". Como Pós-graduado em Psicopedagogia Edson Vieira vem prestando relevantes serviços à sociedade canindeense com seu trabalho de fazer sorrir ou animar a platéia. Conheça um pouco mais desse personagem querido por todos que o conhecem no artigo abaixo de autoria do blog Assis Ramalho.
O petrolandense Edson Vieira Barbosa, desde 2004, mora em Canindé de São Francisco, cidade sergipana às margens do São Francisco, onde faz sucesso como Palhaço Pirulytho, com dois CDs e um DVD gravados. A proposta de Edson é um trabalho pedagógico e não circense.
Pós-graduado em Psicopedagogia, o Professor Edson Vieira Barbosa é Evangélico membro da Adventista do Sétimo Dia e desenvolve há oito anos, no município de Canindé de São Francisco, um trabalho pedagógico em escolas, feiras culturais, igrejas, comércio e atualmente trabalha na Secretaria de Turismo do Município.
Sua carreira começou em 2005. Edson não é de família circense, mas traz no sangue a veia cômica e a musicalidade de seus irmãos: Ery Vieira (Galeguinho da Parabólica), Ed Percussa (Edjackson) e Evânio Barbosa, o Zé Ramalho Pernambucano. Com diversos personagens cômicos, Edson manipula fantoches e é cantor e compositor.
No próximo mês de junho, Edson irá apresentar um novo personagem que resgata a importância cultural da nossa região, o cangaceiro aposentado “Candeeiro” (pode não ter gás mais continua aceso).
Além do carro-chefe dos seus personagens, o Palhaço Pirulytho, Edson Vieira realiza um trabalho para deficientes auditivos com o “Palhaço Sombra” através de mímicas.
Com vários projetos voltados para a educação, Edson Vieira já abordou vários temas nas escolas, como conservação do patrimônio público, saúde na escola, brincando e aprendendo, exploração e abuso sexual em crianças e adolescentes, drogas e outros temas importantes para a formação da cidadania.
"Em breve estarei na minha terra natal, Petrolândia, para divulgação da minha arte", disse Edson Vieira, o Palhaço Pirulytho, a reportagem do Blog de Assis Ramalho, por telefone.

Para conhecer o trabalho e entrar em contato com Edson Vieira, acesse sua página no Facebock.com/Pirulytho Sergipano. E-mail: pirulythosergipano@gmail.com. Telefones: TIM (79) 9126-6851 e OI (79) 88294061.
Assis Ramalho.

ANOS DE CHUMBO - A premonição de Yaiá. (Emiliano José)


...Um calafrio, sensação estranha. Tempos dolorosos. Não vivera iguais nos seus quase cinquenta anos. Filhos presos, tantos amigos presos. Theodomiro, Paulo, quem mais? Tantos. Penso na crueldade dessa gente, quanta maldade. A sensação estranha persistia, como um aviso. Seria de Deus?  Bons, os meus filhos eram bons. Marquinhos já solto, na minha memória era setembro de 1971.
Renato Afonso, no Quartel dos Dendezeiros, transferido do Rio de Janeiro, onde fora preso em fevereiro e perversamente torturado. O corpo já não estava tão estropiado. Não fosse meu marido Orlando, e não estaria vivo. Conseguiu fazer chegar o pedido a dom Eugênio Sales, que não matassem o filho. Dom Eugênio intercedeu, e o salvou. No Rio, passou por coisas horríveis, tanta tortura que eu nem acreditava que existisse. Tudo me vinha à mente em flashes rápidos, numa velocidade absurda. No meio das lembranças, aquela sensação estranha.

Fui muitas vezes aos Dendezeiros, levava bolo pros meninos, dava um pedaço pro coronel Ghetsemany Galdino, que gostava muito do bolo de chocolate. Comandava o quartel. Eu já me afeiçoara aos outros meninos, Tibério, Roriz, também presos políticos. Nunca gostei de ouvir meus filhos serem chamados de terroristas, nem os amigos deles. Por que tudo aquilo vinha assim, aos borbotões, lembranças de tanta coisa daqueles ásperos tempos? E tudo era acompanhado daquela sensação incômoda, como se algo a chamasse, como se alguma coisa ruim estivesse acontecendo.
E de repente, uma iluminação, e a certeza: Renato sofria, precisava dela. Como se ouvisse a voz enérgica de um anjo: que não perdesse tempo, seu filho corre perigo. Estava longe, morava em Nazaré, na Cidade Alta, longe dos Dendezeiros, Cidade Baixa. Orlando não estava em casa. Peguei um táxi, segui pro quartel. À porta, ninguém me barrou, pois, já era personagem comum. Parecia que o anjo me guiava. Dirigi-me a passos rápidos para uma sala onde tinha certeza que Renato estava. Não sabia como tinha certeza. Tinha.

Um sentinela à porta. Quero ver meu filho, quero ver meu filho, sei que ele está aí. Calma, minha senhora. Calma, nada. Preciso vê-lo. O soldado parecia assustado, olhava pra mim, indeciso. Eu ali segura de meus direitos de mãe. Pediu que eu esperasse, iria entrar, voltaria, me traria uma resposta. O sentinela entrou, voltou, e disse está tudo bem com seu filho, nada de mal vai acontecer com ele. Mas, ele está aí? Está. Então quero vê-lo. Não pode, mas, eu garanto que está tudo bem com ele. Me acalmei um pouco. O anjo parecia aquiescer, mas me disse não arrede pé. 

E eu soube depois: dentro da sala, Renato já havia apanhado bastante, socos, pontapés, perguntas aos gritos. Após o Rio de Janeiro, transferido para a Bahia por interferência de Orlando, não sofrera mais torturas. Mas, naquele dia, um sentinela veio buscá-lo. Renato perguntou por que estava sendo retirado da cela. O soldado não sabia. Levado para uma sala, logo depois viu entrar uma equipe de torturadores chefiada por Átila Brandão, que conhecera como agente infiltrado desde a Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, onde estudaram juntos em 1968. 

Átila comandou com ferocidade e gosto a pancadaria inicial, que seria sucedida pelo pau de arara e pelo choque elétrico, equipamentos que a equipe trouxera. Queria informações sobre a passagem dele pelo Paraná, onde estivera como dirigente do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR). Como no Rio, Renato, fiel aos seus amigos, se recusava a dizer qualquer coisa.

Soube que o soldado entrou, cochichou no ouvido de Átila, e ele, irritado, mandou parar tudo, juntar o pau de arara e o resto, e se retirou. Cessou a tortura. Quando Renato saiu da sala, eu o abracei, perguntei-lhe se estava tudo bem, ele disse sim, mas pediu que avisasse o advogado Jaime Guimarães – queriam voltar a torturá-lo. Fiz o que Renato pediu. Não voltou a ser torturado. 

Maria Helena Rocha Afonso de Carvalho partiu, Yaiá, e antes de seguir para o infinito me deu esse depoimento. Deixa saudades imensas, e o exemplo de uma vida cheia de espiritualidade, fé e coragem. Viveu mais de 90 anos.
Emiliano José é um jornalista Cesurado.

Prefeitura de Canindé de São Francisco inaugura a Casa da Gente Canindé.

Com as presenças do prefeito Heleno Silva, dos vereadores Adriano de Bomfim, Pank, Manoel Doutor, Eliel, Valdir Andrade, Everaldo Nunes, Valdir Andrade, a vereadora Ivone e o presidente da casa legislativa Francisco de Pães Andrade, foi inaugurada na quarta-feira, 29, a “Casa da Gente Canindé” que atende a pacientes que se deslocam ate a capital Aracaju para tratamento médico.
Com o novo espaço, todos os cidadãos canideenses que precisarem usufruir das dependências da residência da casa e forem encaminhados para tratamento médico, vão poder ter conforto e uma melhor qualidade de vida. Lá eles encontraram uma equipe de técnicos especializados no acompanhamento deles ao local onde farão consultas e exames.
Segundo a coordenadora Maria desde janeiro de 2013, mais de 800 pessoas já passaram pela casa de apoio e ate o momento não houve qualquer reclamação quanto ao atendimento aos mesmos. Isto mostra que a prefeitura de Canindé acertou em ter alugado um espaço onde as pessoas se sintam confortáveis e tenham alimentação saudável.
O prefeito Heleno Silva destacou a importância do trabalho realizado pelos profissionais que cuidam das pessoas que utilizam as dependências da Casa da Gente Canindé. Emocionado com os relatos feitos durante a inauguração ele destacou que “nós estamos no caminho certo, dando a quem precisa melhores condições de vida. Se ao final do nosso trabalho tivermos conseguido ajudar os mais carentes, eu estarei realizado”.

30.5.13

A justiça baiana deve uma satisfação ao povo de Paulo Afonso. Intervenção Já!


TRIBUNAL PLENO JULGA EMBARGOS DE DECLARAÇÃO DO MUNICÍPIO CONTRA A INTERVENÇÃO INTERPOSTA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO E NÃO ACOLHE O PEDIDO.


A INTERVENÇÃO PODE ESTÁ MAIS PERTO.

O Pedido de intervenção formulado pelo Ministério Público da Bahia, no município de Paulo Afonso, poderá ser efetivado, uma vez que os embargos de declaração (único recurso cabível) foi negado pelo Tribunal de Justiça; com isso o prefeito ANILTON BASTOS que já responde a processo por IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA poderá ser afastado, ou ter suspenso o direito de gerir a cidade na qualidade de prefeito.
O prefeito tem insistido em descumprir a decisão do Tribunal e tem sido investigado por improbidade administrativa, já respondendo ao processo que também tramita no Tribunal de Justiça, sob a rígida fiscalização da Procuradoria Geral de Justiça, tornando cada vez mais difícil a situação do prefeito Anilton Bastos.

28.5.13

Saiu a programação do São João de Canindé de São Francisco 2013.

Hoje, 28, às 8h da manhã o prefeito de Canindé de São Francisco Heleno Silva e o secretário de turismo Hélcio Eduardo fizeram o anuncio da programação das festas de São João em Canindé de São Francisco. O evento aconteceu na churrascaria do Cirone e Neide, tradicional ponto de encontro e que fica no centro da cidade. Várias autoridades estiveram no local para prestigiar o evento, dentre elas o presidente da Câmara de vereadores da cidade Francisco Pães Andrade, e os vereadores Ronildo e Ivone, além de todo o secretariado do município.
As festas de São João em Canindé de São Francisco começam no mês de junho com as festividades nas escolas municipais. Uma festa que reúne a comunidade para comemorar essa data tão importante, e que tem a participação dos alunos e educadores na organização e realização. Vinte e duas escolas irão fazer parte desta tradição.
Além das escolas, outras pessoas também poderão organizar sua rua e participar de um evento que é conhecido por “minha rua é 10”. Na diversão junina as pessoas vendem comidas típicas, como por exemplo, mungunzá, tapioca, bolos de vários sabores, milho, canjica e pamonha. Este evento também conta com a apresentação de quadrilhas de crianças da “perna de pau”, danças típicas e bandas de xote.

Este ano o São João vem com o tema “forro sertão” que dará inicio com o “Santo Antônio” no povoado Capim Grosso, com as bandas; João Neto e Cesinha, as Coleguinhas e os Mauricinhos do Forró. No dia 14 é a vez de Canindé com as atrações já confirmadas; Garota Safada, Fogo na Saia, a Favorita do Brasil. A noite do dia 15, ficará por conta da animação das bandas; Forro dos Plays, João Bandeira JR e a banda Somos Loucos por Forró, finalizando as noites de festa na sede Adelmario Coelho, Painel de Controle e Brasas do Forró.  O ultima dia será no povoado Curituba com o tradicional “São Pedro”, que terá as bandas; Magníficos, Eduardo e Luciano e Cintura Fina.