23.4.13

ERA TUDO O QUE ELES QUERIAM.

O Nordeste do Brasil já entrou no 3º ano de seca que atinge mais de 10 milhões de pessoas e nossas atenções deveriam se voltar ao efeito climático que impede o plantio agrícola, exceto nas pequenas áreas irrigáveis, e que praticamente já dizimou o rebanho de gado de corte e de leite e que trará reflexos negativos por décadas futuras.
Os Governos Federal e Estadual já demonstraram todo o seu arsenal de incompetência para minorar os efeitos da seca. A receita é antiga.  Liberar recursos para distribuição de água em carros pipas e aumentar o número de cisternas, velhos glichês de quem vive alheio à realidade do Nordeste. Os governos municipais, salvo as raras e boas exceções, aproveitam da ocasião como bom comerciante do crime para ampliar a pilhagem do dinheiro público.  “Infelizmente, a população de cada comuna incapaz de reagir fica com a “boca escancarada esperando a morte chegar.”
Na minha velha e espoliada Jeremoabo a Prefeita Municipal repetiu a lição de sempre.  Passando pela cidade na manhã de hoje, domingo, 14.04, me deparei com um espetáculo circense estarrecedor. Enquanto o povo vive na miséria e sobrevive apenas com as aposentadorias rurais e o Programa de Combate a Fome do Governo Federal, por deboche, a Prefeita comprou para o deleite de seu gabinete um veículo Amarok cabine dupla cujo custo não deverá ter sido inferior a R$ 130.000,00 e mais outros 16 veículos expostos na via pública a incrementar ainda mais o trambique com peças de reparação e desvio de combustível e por certo, nos próximos 12 meses a frota já estará totalmente sucateada a exigir novas compras. A coisa não cheira bem e o futuro nos dirá.
Quando usei do título “Era tudo que eles queriam”, eu me refiro a campanha desenfreada da TV Globo por seus colunistas e economistas de plantão que vem defendendo o aumento da taxa de juros pelo Banco Central do Brasil para deleite das grandes corporações financeiras, sob o argumento de que a inflação estaria à beira do descontrole.
Leio no Correio do Brasil que na última sexta-feira, 12.04, Ana Maria Braga em seu programa matinal na “Venus Platinada”, exibiu um colar de tomate a fortalecer a campanha dos juros altos, pela alta de preço do tomate que pressiona a inflação. Ana Maria Braga é aquela mesma que participou da incipiente campanha Cansei, em 1977, a pressionar o Governo Lula. Aos participantes daquele movimento eu afirmei que “Cansei dos Imbecis”. Pois bem, no mesmo dia da aparição da apresentadora com o colar de tomates, na CEAGESP (mercado distribuidor da cidade de São Paulo) o produto sofreu uma queda de 43% no preço e a economista Mirian Leitão, ferrenha inimiga do Governo Dilma, admitia que o aumento da inflação seria resultado de efeito sazonal.
Enquanto a TV que empurrar goela abaixo que virá uma inflação, pretende ela nos convencer que nas eleições Venezuelanas a disputa entre Maduro e Capriles vem pau a pau como a se armar uma virada eleitoral a eleger Capriles. Foi hilariante uma repórter da TV Globo se dizendo da Argentina, dizer que estava a cobrir as eleições da Venezuela. Chaves foi para a Venezuela o que Lula foi para o Brasil ao introduzir políticas sociais e modificar a distribuição da riqueza nacional, a proporcional poder aquisitivo a quem vivia na miséria. Cá e lá a elite é a mesma e a mídia é manipulada.  Não sei sobre as apurações na Venezuela e segundo três institutos de pesquisa a diferença pro Maduro será substancial.
QUEM AVISA AMIGO É. A Constituição do Brasil acolheu o princípio da separação dos Poderes ao dizer no seu art. 2º que: “São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário”. O que vale dizer, Prefeito Administra, Juiz julga e    Vereador legisla. Tenho dito.
FRASE DA SEMANA. “Com a fábrica de cimento Paripiranga gerará 2000 empregos, em    compensação, com a Portaria N. 001/2013, Jeremoabo gerará 2000 desempregos” (Dedé    Montalvão em comentário a remoção das barracas, trailers e armações metálicas dos mototáxi    pela Prefeita de Jeremoabo Anabel de carvalho).
Paulo Afonso, 14 de abril de 2013.
Fernando Montalvão. montalvao@montalvao.adv.br Escrit. Montalvão Advogados Associados.

Nenhum comentário: