16.3.13

ERA MELHOR UM VAMPIRO ARGENTINO E UM PAPA BRASILEIRO.


O mundo cristão acompanhou atentamente a escolha do novo papa e no dia 13 foi anunciado o “habemus papam” e o escolhido foi o arcebispo de Buenos Aires, o argentino Jorge Mario Bergoglio, que se chamará de Francisco. Francisco se deveu a São Francisco de Assis, por sua humildade, e a Francisco de Paula, o evangelizador da Ásia. De quebra foi primeiro papa latino-americano e jesuíta da história. Até ai tudo bonitinho.
O diário esportivo argentino Olé destacou em sua edição eletrônica a escolha do argentino como resultado da “La mano de Dios”, parafraseando a expressão usada para se referir ao gol de mão de Maradona na Copa do Mundo de Futebol contra a Inglaterra. Cá para nós, os argentinos além de Maradona agora têm um papa, não é de lascar?
O Brasil com sua ladainha de maior país católico com mais de 120 milhões de católicos permanecerá com seu grande herói Bento Carneiro, o vampiro brasileiro, o anti-herói que tem medo do sobrenatural e das coisas do outro mundo e assim continuará por toda sua eternidade. O País serve para as estatísticas, e tanto é que começou a vazar que na escolha do novo papa estiveram disputando o Scola, o canadense, Bergoglio e nada de brasileiro.
Na noite do dia 13 e na manhã e noite do dia 14.03 estive assistindo alguns depoimentos sobre o novo papa em redes de televisão, incluindo-se as TVs católicas como a Aparecida e a Rede Vida e fiquei um tanto assustado sobre o que se disse do novo papa, especialmente da acusação de colaborador das ditaduras militares da Argentina e responsável por entregar os padres Orlando Yorio e Francisco Jalics aos militares que os seqüestraram e os torturam. O Arcebispo Jorge Mario Bergoglio, inclusive, chegou a ser inquirido pela Justiça argentina nas audiências sobre o regime responsável por 30 mil mortes.
Um teólogo ouvido na Rede Vida sobre a acusação de Bergoglio haver colaborado com a ditadura militar argentina, apresentou uma estranha explicação e foi infeliz ao comparar o trabalho de Bergoglio, na Argentina com o de Dom Evaristo Arns no Brasil. Para o teólogo, a conduta do papa na argentina seria para manter um diálogo com o regime e diminuir o sofrimento das pessoas. Ora, meu caro! Dom Paulo Evaristo Arns foi o refúgio contra o sofrimento sem entregar de pessoas.
No jornal nacional da Globo, edição de 14, a impressão passada por Ilze, por Uchoa e a segunda repórter era de que Bergoglio fosse um Deus, um onipotente, o caridoso, o humilde, o pais dos pais. Enquanto a biografia do novo papa é polida para encobrir escorregos e comprometimento dele com a ditadura militar argentina, o Wikileaks divulgou que para os EUA o envolvimento de papa com ditadura enfraquecia crítica aos Kirchner. Bergoglio não poupou forças na sua oposição aos Kirchner.
A Igreja católica perdeu influencia na Europa, na Ásia tem atuação limitada e perde território para o islamismo, principalmente, no norte da África, tendo seu feudo particular nas Américas do Sul e Central.
Embora um ilustre desconhecido para nós, o argentino Bergoglio que é da Igreja ultraconservadora, um ortodoxo cristão, quando da eleição do papa Bento XVI concorreu com esse e disputou de perto a indicação papal.

Como todo ortodoxo é contra o aborto, a união entre pessoas do mesmo sexo, a adoção de crianças por homossexuais, os métodos anticonceptivos como o uso da pílula e da camisinha.
Não sei a posição dele sobre as pesquisa com as células tronco e ai não deve ser diferente do que foram João Paulo II e Bento XVI, um atraso inaceitável para uma Igreja que não acompanha os novos tempos. Jovens cristãos ouvidos em Roma e os que estão voltados para a Jornada Mundial da juventude no Rio se disseram entusiasmados com o novo Papa sem apresentar um raciocínio como ele melhoraria a Igreja católica.
João Paulo II, o polaco, um ortodoxo, foi o escolhido quando as repúblicas do leste europeu já estavam em processo de decomposição, enquanto Bento XVI que fizera parte da juventude hitlerista, o que era uma imposição de Estado na época, e ambos eram da linha conservadora da Igreja Católica. Francisco que não será o Chico é opositor aos governos dos Kirchner e não será por caso que saia da América do Sul um papa quando a maioria ou quase a totalidade dos países da América do Sul e da América central do estão sob regime das esquerdas.
Nosso saudoso apresentador da TV Bandeirante Joelmir Betting quando se referia à estabilização dos preços das ações nas bolsas ou a cotação do dólar usava da expressão andar de banda. Com a escolha de Bergoglio a Igreja Católica estará andando de banda e será a mesma Igreja de João Paulo II e Bento XVI, para a alegria das demais Igrejas cristãs. Enquanto isso lê no Exame.com que o papa Francisco perdeu para Luan Santana entre os assuntos mais falados no Brasil no dia da escolha dele.
A Igreja católica que não serve é aquela que prega o conformismo e a pobreza como um castigo de Deus. Aliás, a fé pregada pela Igreja para os povos das Américas nada mais era do que instrumento de dominação dos colonizadores.
ATESTADO DE VIRGINDADE. Em meio ao tiroteio a eleição do novo Papa, eis que na Bahia de Jaques Wagner e parece que já é tempo dele pastar por ai, um dos requisitos para se submeter ao concurso de delegado de polícia, escrivão e em se tratando de candidato mulher é a virgindade, conforme EDITAL DE ABERTURA – SAEB/01/2013, de 11 de janeiro de 2013. O Edital dispensa a candidata que possui "hímen íntegro" de entregar os exames de colposcopia, citologia e microflora. A mulher que queira concorrer aos cargos deve apresentar atestado médico que comprove a referida condição com assinatura, carimbo e CRM do médico que o emitiu.
GORILA NA CBF. Como o Brasil não tem Papa para ser acusado de colaboração com as forças da repressão, a vez aqui é de Marin, presidente da Confederação Brasileira de Futebol – CBF. Em discurso quando legislador ele pediu intervenção das forças de segurança na TV Cultura de São Paulo contra a infiltração de comunistas na emissora e como resultado da deduragem o jornalista Vladmir Herzog foi preso, torturado e morto nos subterrâneos da ditadura. Romário, ex-jogador de futebol e agora deputado federal pelo RJ, pretende uma audiência pública para discutir o caso Marin. Eu já subscrevi a petição eletrônica do“fora Marin”.
ESTADO E RELIGIÃO. Essa eu não sabia e saiu publicado no folha on-line, edição de hoje. A Argentina é um dos maiores países católicos e com seus 40 milhões, estima-se que católicos sejam entre 31 a 34 milhões. Até ai tudo bem. A novidade é por força de norma constitucional
o Estado mantém na folha de pagamento dos bispos, padres e seminaristas. Lá um Bispo recebe R$ 11.000,00, com direito a aposentadoria.
Paulo Afonso, 15 de março de 2013.
Fernando Montalvão.
Montalvão Advogados Associados.

Nenhum comentário: