7.1.13

Briga politica prejudica os sertanejos em Sergipe.‏


Está é a maior seca já registrada nos últimos 50 anos e ela já se prolonga a mais de dois anos, 2011 e 2012. E as previsões dos estudiosos é de que ainda ira durar por mais dois anos, castigando a região semi-árida, que envolve todo o nordeste e a região norte do estado de Minas Gerais. A presidenta Dilma esteve na região no ano passado e lançou um pacote de medidas para ajudar aos agricultores. Entre as ações tem uma linha de crédito nos bancos, incentivando o agricultor a pegar empréstimos junto às instituições financeiras. O objetivo é socorrer o rebanho dos pequenos e grandes criadores. Mas com o prolongamento da falta de chuva, o rebanho já diminui em mais ou menos 30%. E enquanto isto ocorre, as pessoas vão aos bancos, estes estão sem capacidade técnica para analisar em tempo hábil os projetos. A falta de funcionários é uma das causas que atrasam a aprovação e liberação dos recursos junto aos bancos.
Enquanto este problema persiste, quem sofre é o povo e os animais do semi-árido, mais uma vez abandonados a sorte e a luta de poucos políticos e representantes da sociedade civil que buscam melhorias para a região. O exército brasileiro coloca água para a população através de carros pipas em operação da defesa civil, já o gado está morrendo, pois não tem quem solucione o problema do abastecimento de água para eles. A situação é dramática no sertão.
A reclamação de gestores estaduais é a de que a burocracia em Brasília vem atrapalhando a liberação do dinheiro prometido. Algumas vezes, a presidenta Dilma anuncia liberação de recursos, mas na pratica não se vê o valor chegar ao destino. E a previsão é de que as chuvas só venham em fevereiro, e mesmo assim não vão acabar com a situação que deve, segundo analistas, durar por mais dois anos seguidos, indo ate 2014. A presidenta Dilma criou o programa Água Para Todos, mas vem encontrando dificuldades em sua implementação.
No sertão de Sergipe os grandes criadores de gado, estão gastando mais ou menos R$ 40.000,00 em compra de água através de carros pipas, tudo para que seu rebanho não deixe de produzir leite. A indústria da seca tem suas ramificações e agora chega aos endinheirados, tamanho é a calamidade existente atualmente. Para complicar ainda mais a situação, a briga política no estado fez com que o ProInvest, linha de crédito liberada pelo Governo Federal destinada aos estados que tem boa saúde financeira para ampliação dos investimentos, levou o senador Eduardo Amorim do PSC a arregimentar seus aliados e opositores ao governador Marcelo Dedá e conseguiram reprovar na assembléia legislativa esse aporte financeiro que viria ajudar muito o estado. Tudo em um jogo que visa à eleição de 2014, onde ele pretende ser candidato ao governo sergipano. Este recurso na ordem de R$ 727 milhões é metade do valor a que Sergipe tem direito a adquirir. A aplicação seria na infraestrutura, agricultura e urbanização do estado. Para o senador Valadares o motivos para que Amorim tenha trabalhado diretamente e sem esconder seu desejo, contra a aprovação dos recursos, prejudicando principalmente o sertanejo que sofre atualmente com a seca é a possível candidatura do senador do PSC contra Dedá em 2014.
O sertanejo para alimentar o gado está dando a ele, mandacaru e macambira queimada, enquanto os políticos brigam e deixam a população e os animais passarem necessidades.

Nenhum comentário: