1.2.12

Asfalto colocado na BA 210 Paulo Afonso a Canindé/Se não aguentará um inverno.

Com o peso dos caminhos e a qualidade do produto colocado, os buracos retornaram logo.
A Região Norte do Estado da Bahia parece o Patinho Feio para o Governo. É que para cá sempre há uma demora para a liberação de obras essenciais e estruturais. Para se ter uma idéia do quanto se demora para que algo seja feito aqui, veja o caso da BA 210 que liga a cidade de Paulo Afonso a Canindé do São Francisco em Sergipe. Há mais de 05 (cinco) anos. Em pleno inverno e com bastantes chuvas, as pontes do povoado Rio do Sal foram arrancadas, e a estrada ficou intransitável em todo o seu percurso. Passaram as chuvas, mas os problemas continuaram.
O Governo de Sergipe há exatos 04 (anos) atrás fez uma licitação e contratou a empresa vencedora. Foi feito o asfalto, de boa qualidade, que dura ate hoje e os poucos buracos que apareceram foram imediatamente recuperados. Os motoristas que trafegam pela BA 210 sabem do que estamos falando.
Há dois anos, veio o Governo da Bahia, através da Secretária de Infraestrutura e também fez a licitação para o trecho que faltava. Na semana passada a redação do Site Notícias do Sertão foi avisada de que já tinham terminado a parte da Bahia e que os motoristas começaram a usá-la novamente, diminuindo a distância entre os dois estados.
Ao chegar lá nos deparamos com um asfalto de baixa qualidade. Não precisa ser técnico na área para perceber que o material colocado não ia suportar o peso dos caminhões durante o inverso deste ano. Diferente do que foi colocado pelos sergipanos que tem uns 20 centímetros de espessura, o que foi colocado no lado baiano deve ter uns 5 centímetros e com as britas totalmente a vista. O que mostra que ou faltou material, ou foi colocado pouco para preencher os espaços entre as pedrinhas.
A BR 210 merecia um asfalto de alta qualidade, conhecido como Concreto Betuminoso Usinado a Quente e não a emulsão asfáltica que lá foi colocada de baixo padrão. Aos olhos de quem não é engenheiro da área, o que lá foi posto parece mais com os pré-misturados a frio e a quente (PMF e PMQ), isso para não chegarmos a concluir que foi uma lama asfáltica.
Nós enviamos e-mail a Assessoria de Comunicação da Seinfra solicitando as seguintes informações:
O Site Notícias do Sertão está terminando uma matéria sobre a "conclusão" do asfaltamento da BA 210, trecho entre Paulo Afonso na Bahia e a cidade de Canindé do São Francisco em Sergipe.
Para isso, nós gostaríamos de obter as seguintes informações:
Qual foi à empresa responsável pela execução da obra?
Quanto foi o custo total da obra?
Qual o tipo de material asfáltico usado pela empresa?
Quem é a pessoal responsável por fazer a medição do material colocado?
Quem é a pessoa (engenheiro) responsável por aceitar o material asfáltico como de boa qualidade?
Sem mais para o momento, Atenciosamente, Dimas Roque Site Notícias do Sertão Paulo Afonso, 30 de janeiro de 2012, às 13h.

Nenhum comentário: