23.1.12

Deu polícia na Câmara de Vereadores e servidores reclamam da truculência.

Presidente da Câmara Municipal de Canindé de São Francisco convocou Sessão Extraordinária e a polícia na tentativa de intimidar servidores municipais

No dia 19 de janeiro do corrente ano, a Câmara Municipal de Canindé de São Francisco realizou sessão extraordinária, sem muita divulgação, para aprovar projetos encaminhados pelo executivo municipal. Mas, os vereadores foram pegos de surpresa com a ocupação da câmara por centenas de servidores municipais.

Dentre os diversos projetos a serem votados, constava o Projeto de Lei que estabelece gratificações sem critérios objetivos. Tal Projeto de Lei prejudica e inviabiliza a valorização dos servidores. Segundo o texto, gratificações não são devidas a todos os servidores, mas somente àqueles em que o executivo tem confiança. Ou seja, se o prefeito tem uma raivinha do trabalhador, ele não garante a gratificação. Eis a questão: “Os servidores municipais de Canindé recebem salário pelo exercício do seu trabalho ou pela vontade do prefeito Orlandinho”?

Diante do absurdo, os servidores que realizavam assembléia concomitantemente à sessão, ocuparam a Câmara de Vereadores do município e explicaram para os vereadores que o Projeto em questão não beneficiaria os trabalhadores, além de ser inconstitucional, contudo, os vereadores foram a favor do Projeto de Lei encaminhado pelo Prefeito Municipal.

O SINDISERVE-CANINDÉ propôs que o Projeto de Lei não fosse votado, mas ao invés de discutir e debater o conteúdo do projeto, os vereadores preferiram atacar a honra do presidente da entidade e indo à tribuna para abater a moral dos representantes dos servidores, numa tentativa em vão de desestabilizar a organização sindical. Porém os trabalhadores, cientes das reais intenções dos parlamentares, manifestaram-se vaiando os vereadores.

A sessão transcorreu de forma conturbada, e o vereador Juarez pediu vistas, alegando que todos só tiveram acesso ao referido projeto um dia antes, não tendo tempo suficiente para analisá-lo. Em seguida, o Presidente da Câmara, Vereador Joselildo, mais conhecido como PANK, concedeu apenas 20 minutos para o vereador Juarez ler e interpretar o projeto.

“Um projeto de Lei como este, que requer interpretações, precisa de um período de tempo maior para análise, mas o presidente PANK, autoritariamente, concedeu somente 20 minutos para que seu colega pudesse avaliar o texto, e ainda desrespeitou o direito do pedido de vistas do vereador”, declara Edmilson Balbino Santos Filho, presidente do SINDISERVE-CANINDÉ.

Insatisfeito com a postura do vereador Juarez e a pressão dos servidores presentes, o presidente da câmara, PANK, convocou a polícia militar e civil para retirar o vereador do plenário.

“Nunca vi isso na minha vida, um presidente do legislativo tão autoritário ao ponto de desrepeitar seu próprio colega de vereança”, declara o servidor José Gonçalves Sobrinho.

“Os vereadores de Canindé de São Francisco deixaram cair as máscaras de opositores, pois votaram cegamente em Projeto de Lei que agrada Prefeito em detrimento dos servidores do município. Isso é muito complicado!” declara Emanoel Messias Aleixo da Silva, diretor do SINDISERVE-CANINDÉ.

Os vereadores Luciano Ferreira e Adriano de Bomfim, que se dizem oposição, antes da presença do povo, votaram no referido projeto, contudo com a chegada em massa dos trabalhadores, sentindo-se acuados, abstiveram-se do voto, optando pela omissão. No popular, ficaram em cima do muro.

Os vereadores de Canindé pensaram em realizar uma sessão nas “caladas”, que ocorreria na maior tranqüilidade, se não fosse a perspicácia dos servidores públicos. E, infelizmente, aqueles eleitos para representar o povo, fizeram dos direitos dos trabalhadores um caso de polícia. E mais, demonstraram despreparo, arrogância e prepotência.

Os servidores municipais repudiaram a atitude dos vereadores de Canindé de São Francisco, especialmente do presidente da câmara, o vereador PANK. Esperamos que reavaliem seus comportamentos e se retratem com os servidores municipais publicamente.

Na cidade, os comentários sobre o triste episódio crescem em grande proporção, causando indignação na comunidade. E fica uma reflexão: “Qual é a punição para vereadores que desrespeitam o Estado Democrático de Direito?

DEPARTAMENTO DE DIVULGAÇÃO E CULTURA DO SINDISERVE-CANINDÉ.

Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Canindé de São Francisco – SE.

Nenhum comentário: